Página Principal > Cardiologia > Reposição de testosterona em homens aumenta risco de trombose venosa profunda

Reposição de testosterona em homens aumenta risco de trombose venosa profunda

Um novo estudo publicado na BMJ indica que a reposição de testosterona em homens aumenta o risco de trombose venosa profunda em 63% nos primeiros seis meses de uso.

500x120-usuarios

Usando registros de 370 clínicas na Europa, pesquisadores identificaram mais de 19 mil homens com tromboembolismo venoso (TEV) e 900 mil controles correspondentes por idade e fatores de risco para TEV. Entre os casos de TEV, 0,36% ocorreram durante o tratamento com testosterona e 0,11% após tratamento recente.

O uso de testosterona por menos de seis meses foi associado com um aumento de 63% no risco de TEV, em seguida, começou a declinar. Tratamento a longo prazo e recente não foram significativamente associados com TEV.

Para os pesquisadores, os achados apoiam a adição da advertência geral sobre o risco de tromboembolismo venoso, embora ressaltem que esse risco é transitório.

Na primeira década do século XXI, houve um aumento na prescrição de testosterona para homens, principalmente para disfunção sexual e/ou fadiga. Estudos têm relatado resultados contraditórios sobre a associação entre o uso de hormônio e o risco de tromboembolismo venoso. Até que se saiba mais, é importante que médicos sejam criteriosos ao prescrever essa terapia a seus pacientes.

250x250-portal

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Referências:

  • BMJ 2016;355:i5968

Comentários

Texto

Deixe uma resposta