Página Principal > Farmacologia > Perguntas e respostas sobre os biossimilares, nova classe de medicamentos

Perguntas e respostas sobre os biossimilares, nova classe de medicamentos

Uma nova classe de medicamentos está finalmente chegando ao Brasil e promete revolucionar o combate às doenças. Veja aqui cinco perguntas e respostas que você precisa saber sobre os biossimilares:

500x120

O que são biossimilares?

São medicamentos que contêm uma substância ativa derivada ou composta por um organismo vivo altamente similar a um produto biológico já aprovado (conhecido como “medicamento de referência”). Um biossimilar não é considerado um medicamento genérico, porque não é sintetizado quimicamente. No entanto, assim como os genéricos, os biossimilares têm menos etapas de testes clínicos, garantindo uma redução no custo.

Qual é o processo de aprovação?

Para a ANVISA:

“Os produtos biossimilares são os produtos biológicos registrados pela via de desenvolvimento por comparabilidade, que é a via regulatória utilizada por um produto biológico para obtenção de registro na qual foi utilizado o exercício de comparabilidade em termos de qualidade, eficácia e segurança, entre o produto desenvolvido para ser comparável e o produto biológico comparador.

A legislação utilizada para o registro de biossimilares no Brasil é a Resolução RDC nº 55, de 16 de dezembro de 2010. Devem ser apresentados, dentre outros requisitos, estudos comparativos entre o biossimilar e o produto biológico comparador contendo informações suficientes para predizer se as diferenças detectadas nos atributos de qualidade entre os produtos resultam em impactos adversos na segurança e eficácia do biossimilar.”

Quantos já foram aprovados no Brasil?

Em 2015, a Anvisa aprovou o primeiro biossimilar, infliximabe, para as seguintes doenças: artrite reumatoide, espondilite anquilosante, psoríase, doenças inflamatórias intestinais (colite ulcerativa e doença de crohn) e doença de behçet. A previsão é de que mais 12 biossimilares sejam aprovados até o final de 2017.

Os biossimilares são seguros?

Os resultados de uma pesquisa americana, publicada na revista Advances in Therapy, ressalta a necessidade de uma educação baseada em evidências sobre segurança do medicamento: de 1.201 especialistas que prescreveram biossimilares nos EUA, apenas 45% considerou que eles eram seguros e apropriados para uso em seus pacientes.

Análises feitas a partir de 20 estudos publicados comprovaram que a eficácia, segurança e qualidade dos biossimilares são equivalentes às dos medicamentos de referência.

Qual é o grande diferencial?

O grande diferencial dos biossimilares são os preços: eles podem ser 25% a 30% mais baratos do que os medicamentos de referência. Essa pode ser uma diferença significativa no bolso dos pacientes, principalmente, na situação atual do país.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

banner250x250

Referências:

  • http://contractpharmabrasil.com.br/noticias_descricao.php?id=392
  • http://www.impresso.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/suplementos/ciencia-e-saude/2016/10/29/interna_cienciaesaude,157012/biossimilares-os-remedios-do-futuro.shtml
  • 8 Things to Know About Biosimilars. Medscape. Nov 23, 2016.

Comentários

Texto

Deixe uma resposta