Página Principal > Saúde & Tecnologia > Pokémon GO impactou a saúde dos jogadores?

Pokémon GO impactou a saúde dos jogadores?

Estudo recém-publicado no British Medical Journal buscou avaliar o aumento na atividade física de adultos americanos entre 18 e 35 anos após a instalação de Pokémon Go.

Desde o lançamento, muito se falou em saúde associado ao jogo, das boas consequências que o mesmo trouxe, inclui-se a promoção de atividade física, ao estimular jogadores a andarem pela cidade à procura dos monstrinhos. Ao mesmo tempo, autoridades de saúde alertaram para o risco de acidentes a que estão submetidos jogadores por terem que dividir a atenção entre o mundo real e a “telinha” (sendo que quase sempre a “telinha” ganha).

O estudo, portanto, é a primeira iniciativa de comprovar que Pokémon Go de fato estimula a atividade física, e de quantificar o quanto foi este aumento na vida dos jogadores.

Os pesquisadores incluíram no estudo 1200 adultos americanos entre 18 e 35 anos que portavam smartphones que registravam automaticamente o número de passos dados ao dia. Jogadores de Pokémon Go registraram um aumento de 4.300 passos/dia em média nas quatro semanas que antecederam a instalação do jogo para 5.100 passos/dia na primeira semana após a instalação, representando um substancial aumento de 20%, o que significa 11 minutos a mais de atividade física diária.

Veja também: ‘Sobre Pokémons, Medicina e receitas de aplicativos de saúde’

No entanto, embora este aumento inicial tenha sido animador, observou-se uma gradual queda até a 6ª semana de estudo, em que o tempo médio se equiparou a antes da instalação do jogo.

O estudo permitiu concluir que, de fato, o jogo estimula a atividade física. Porém, o abandono do mesmo após o primeiro mês não agrega novos hábitos ao jogador, estando a atividade física intimamente atrelada ao uso do jogo.

Embora a associação entre Pokémon Go e atividade física não tenha sido mantida, postula-se que num subgrupo de jogadores que tenham aderido o jogo em seu dia-a-dia a resposta possa ser mantida, especialmente quando se trata de crianças e adolescentes, em que um estímulo como um jogo pode ser suficiente para promover saúde.

Mesmo a febre de pegar pokémons sendo transitória para a maioria dos jogadores, ao menos para um percentual destes que realmente adotaram o jogo em seu dia-a-dia, a promoção de saúde está acontecendo, e esta na hora de pensarmos em uma escala global, na prevenção de doenças cardiovasculares e obesidade infantil.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Referências Bibliográficas:

  • Howe KB et al. Gotta catch’em all! Pokémon GO and physical activity among young adults: difference in differences study. BMJ 2016; 355:i6270.

Deixe uma resposta