Página Principal > Residência Médica > 10 conselhos para um bom R1

10 conselhos para um bom R1

Entrar em um programa de residência médica é altamente estressante. Em um cenário competitivo, passar meses seguidos do seu último ano de faculdade pode ser muito desgastante, dependendo do grau de empenho e dedicação do estudante de medicina. Entretanto, após realizar as provas objetivas, discursivas, práticas e entrevista, finalmente o gozo surge ao conquistar a tão sonhada vaga de residência médica. Missão cumprida, é hora de relaxar. Será?

O primeiro ano da residência médica (R1) é cercado de desafios e novidades, o seu primeiro contato real com a vida médica (e não aquele plantão que vinha fazendo para conseguir uma grana ou o serviço militar). Agora você tem uma escala com rotina de trabalho, ambulatório, visitas de fim de semana, enfermarias de especialidades, parecer, sessão clínica e novos plantões. A responsabilidades aumenta e você agora é um médico em especialização.

Separei 10 conselhos que aprendi e que ouvi de outros médicos para aumentar o sucesso durante a residência médica:

1. Demonstre interesse e empenho

Essa é a regra #1 para qualquer trabalho na vida, mas na residência ainda mais. Você está o tempo todo sendo observado por professores, outros profissionais de saúde, colegas e staffs de outras residências, ou seja, pessoas que farão parte do ciclo da sua vida profissional. Tenha em mente que um residente interessado e empenhado desperta satisfação e admiração de quem o cerca, além, é claro, de permitir que você aprenda ao máximo nos anos de residência.

2. Um comportamento negativo não ajuda

O período da residência é extremamente complicado e estressante. Somado a isso existem todos os problemas do hospital e frustrações que contemplam o caminho do aprendizado. Manter uma visão positiva das coisas é fundamental para o sucesso. Não deixe se contaminar pelos problemas do seu serviço, não olhe apenas as coisas ruins, mas valorize as boas e encontre soluções para as adversidades. Acredite que por mais que a grama do vizinho pareça mais verde, todo serviço tem seus pontos positivos e negativos.

Veja também: ‘Cerca de 20% dos residentes de cirurgia geral estão desistindo do programa. Saiba os motivos!’

3. Cuide dos pacientes como se fossem seus

Alguns residentes conseguem enxergar os pacientes apenas como sendo do hospital, do serviço ou do staff. Mesmo sabendo que o seu envolvimento com aquele serviço tem dia para acabar, você deve cuidar dos pacientes como se eles fossem seus para sempre, pois é desta maneira que a maioria deles enxerga o médico. Mostre seu interesse com o futuro do seu paciente e prepare uma boa transição para o seu sucessor.

4. Esta é a oportunidade de aprender, não fuja dela!

A residência é a oportunidade de aplicar a rotina médica sob supervisão. Este é o momento onde a sua curva de aprendizado está em maior desenvolvimento. Você está sendo bombardeado de informações, lições e aprendizados práticos. Beba ao máximo da fonte do saber de professores, staffs e outros colegas, da sua especialidade ou não. Aproveite que você é um residente e as pessoas sabem que você está aprendendo. Não tenha medo de perguntar.

5. Relacionamento é fundamental

Este é o início da sua carreira médica. Aproveite a oportunidade da residência para se mostrar um profissional comprometido e empenhado, e assim começar a tecer a sua rede de relacionamentos, ela será fundamental para a sua carreira, como já citamos antes.

6. Ouça mais e fale menos!

Todo jovem empolgado com a carreira tende a ser impulsivo sobre suas crenças e exposições. Você está aprendendo e a residência é sobre isso. Ouça os conselhos e lições dos seus professores e staffs. Mesmo que alguns deles pareçam um pouco mais desatualizados, acredite que eles possuem algo com muito valor: experiência.

7. Se houver estágio fora, utilize

Muitas residência oferecem a oportunidade de realizar estágios fora do hospital, algumas oferecem até mesmo oportunidades para estágios em outros países. Não se acomode com o seu serviço. Aproveite o estágio em outro serviço para aprender outras práticas, rotinas e vivências de staffs, além, é claro, de ampliar a sua rede de relacionamentos.

8. Você possui uma vida fora do hospital

A residência consome muitas horas intra e extra hospitalar. Isto faz parte do período de especialização. Porém, não se deixe consumir pelo trabalho, aprenda a equilibrar a sua vida social, cuidar da sua saúde e corpo, sem fugir das responsabilidades. O equilíbrio é fundamental para um crescimento saudável.

E mais: ‘7 dicas para ter um bebê durante a Residência Médica’

9. Inteligência emocional é fundamental

A residência é uma montanha russa de emoções composta por felicidade e excitação, mas também por cobrança, frustrações e decepções. Saber lidar com essas emoções é parte fundamental para o sucesso nesta jornada. Aprenda a manejar os problemas e adversidades, compartilhe estes com amigos e preceptores. E mantenha em foco o seu objetivo central de ser um especialista.

10. Você é quem faz a sua residência

Conversando com amigos, pude perceber o mesmo comportamento sempre, cada um faz a sua residência. Isto é, cada atitude que você tiver ou não, cada hora de dedicação, cada leitura de artigo ou capítulo de livro é apenas sua responsabilidade. Construa a sua residência, faça das adversidades oportunidades para você ser um médico especialista melhor e mais bem preparado.

Estes são os meus 10 conselhos para o R1. Existem muitas outras boas práticas a serem tomadas frente aos desafios. O mais importante é sempre estar disposto a evoluir e ter certeza que você fez a sua parte.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Comentários

Texto

Deixe uma resposta