Página Principal > Cardiologia > O que você precisa saber sobre as diretrizes de 2017 da ADA para tratamento do diabetes

O que você precisa saber sobre as diretrizes de 2017 da ADA para tratamento do diabetes

Todo ano, a American Diabetes Association (ADA) atualiza suas diretrizes de assistência médica (triagem, diagnóstico e tratamento) para todos os tipos de diabetes em criança, adultos e idosos. Separamos para você as principais novidades na publicação de 2017.

Saúde psicológica, novas opções de tratamento, estilo de vida e rastreamento de hipoglicemia são algumas das áreas-chaves neste atualização. Veja abaixo:

Avaliação da saúde psicológica e comorbidades

  • Devido ao maior risco de estresse psicológico/emocional e distúrbios em pessoas com diabetes, a atualização deste ano inclui recomendações sobre rastreamento de adultos e jovens para angústia do diabetes (questões emocionais únicas relacionadas aos fardos e preocupações de viver com a doença), depressão, ansiedade e distúrbios alimentares, e fornece uma lista de situações que justificam encaminhamento para especialista em saúde mental.
  • Também é destaque a importância da avaliação de comorbidades como parte de uma avaliação abrangente centrada no paciente. Uma lista expandida de comorbidades do diabetes agora inclui: doenças auto-imunes, HIV, transtornos de ansiedade e alimentares, depressão e doença mental grave.

Estilo de vida

As recomendação incluem atividade física para interromper o comportamento sedentário prolongado a cada 30 minutos e avaliação dos padrões de sono pelos médicos, como parte do tratamento, porque a qualidade do sono pode estar associada ao manejo da glicemia.

Veja também: ‘Sedentarismo: precisamos agir agora!’

Mais opções de tratamento

  • As indicações para cirurgia metabólica passam a incluir pacientes com diabetes tipo 2 inadequadamente controlados com IMC < 30 kg/m2.
  • Para fornecer mais opções para indivíduos com diabetes e hipertensão, as recomendações de medicação foram ampliadas para incluir mais opções como tratamento de primeira linha. Qualquer uma das quatro classes de medicações de pressão arterial que têm mostrado benefícios cardiovasculares em pessoas com diabetes podem ser utilizados como terapia inicial para hipertensão. São eles: inibidores e bloqueadores da enzima conversora da angiotensina, diuréticos tiazídicos ou bloqueadores dos canais de cálcio diidropiridínicos.
  • Pacientes com diabetes e doença cardiovascular correm alto risco de complicações graves e morte. Dois medicamentos específicos para baixar a glicose são agora recomendados para esta população de alto risco: liraglutidaempagliflozina.

Hipoglicemia: nova definição

Como já falamos por aqui, segundo a nova diretriz hipoglicemia clinicamente significativa é considerada a partir de 54 mg/dL.

Para ver a publicação da ADA para 2017, clique aqui.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Referências:

  • http://professional.diabetes.org/content/clinical-practice-recommendations
  • http://www.diabetesincontrol.com/new-ada-2017-standards-of-medical-care-in-diabetes/

 

Deixe uma resposta