Página Principal > Saúde & Tecnologia > O que os médicos não devem publicar nas redes sociais
médico consultando dados de um tablet

O que os médicos não devem publicar nas redes sociais

As redes sociais podem ser uma ferramenta importante para aumentar a conscientização sobre os cuidados com a saúde e envolver pacientes. No entanto, médicos devem ter cuidado com o tipo de conteúdo publicado tanto em suas páginas pessoais, quanto profissionais.

O blog TI Medicina listou alguns assuntos que os médicos devem evitar publicar nas redes sociais.

Informação médica imprecisa: boa parte dos doentes busca informações na Internet antes de procurar um médico, e, como já se sabe, nem sempre esse conteúdo é confiável. Por isso, é de extrema importância que os médicos não compartilhem e/ou curtam informações imprecisas. Antes de divulgar qualquer notícia, procure verificar os fatos em outros sites confiáveis e com colegas.

Informação ou imagem que viole a confidencialidade do paciente: recentemente uma médica do Hospital Sírio-Libânes, em São Paulo, foi demitida após compartilhar em um aplicativo de mensagens dados sigilosos sobre o diagnóstico da ex-primeira-dama, Marisa Letícia. Esse é apenas um entre muitos casos em que médicos foram punidos por divulgar informações de seus pacientes.

As regras do Conselho Federal de Medicina (CFM) traçam limites na publicação de selfies dos profissionais, com ou sem pacientes, em redes sociais. Procure sempre obter permissão por escrito do paciente, mesmo se for usar apenas uma imagem de alguma parte do corpo. Além disso, evite falar sobre pacientes específicos nas redes sociais sem permissão. Certifique-se sempre de que não há registros de saúde do paciente em exibição ao tirar fotos na prática clínica.

Veja também: ‘Como usar as redes sociais a seu favor’

Suas informações pessoais junto com as profissionais: o American College of Physicians (ACP) recomenda que os profissionais de saúde criem perfis em redes sociais separados para suas vidas profissionais e pessoais. Além disso, recomenda-se que o perfil profissional seja mais visível do que o pessoal.

Reclamações: não use as redes sociais para postar reclamações sobre algum paciente, chefe, colega ou situação profissional. Reclamar “por reclamar”, sem apresentar soluções e questionamentos ou algum tipo de discussão que enriqueça o problema, é pouco profissional e pode ser prejudicial para sua carreira.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Dr. Bruno Lagoeiro, médico do Hospital Pró-Cardíaco RJ, dá sua opinião sobre o assunto:

“A medicina é uma profissão de confidência. O médico é um ouvinte, guardião da dor de seu paciente. Na faculdade aprendemos a não julgar os hábitos e ações de cada, bem como aprendemos o quão importante é uma história bem colhida, sem meias verdades. Esta pode ser a diferença entre fechar ou não um diagnóstico.

Médicos devem ter cuidado ao se comunicar ou expor em redes sociais, seja com outros colegas ou mesmo pacientes. Sabemos que a medicina é uma profissão de compartilhamento, um colega dividir um caso com outro é corriqueiro e às vezes trivial para o mesmo, quando o apoio ou uma segunda opinião podem definir uma conduta e seu sucesso”.




Referências:

  • http://oglobo.globo.com/brasil/apos-compartilhar-dados-sigilosos-de-marisa-medica-do-sirio-demitida-20864217
  • http://timedicina.blogspot.com.br/2017/04/5-coisas-que-os-medicos-nunca-devem.html?m=1

Deixe uma resposta