Endocrinologia

A ingestão de frutas diariamente pode diminuir o risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2?

Tempo de leitura: 2 min.

Um novo estudo publicado no início deste mês de junho de 2021 no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism encontrou dados favoráveis relacionando ingestão de frutas à proteção de desenvolvimento de diabetes tipo 2.

O objetivo central do trabalho foi buscar as repercussões metabólicas relacionadas à ingestão de frutas e de sucos de frutas em um grande número de pacientes avaliados.

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Australian Diabetes, Obesity and Lifestyle Study

Os 7.675 participantes australianos (45% homens) com uma idade média ± DP de 54 ± 12 anos no início do estudo, foram interrogados sobre sua a ingestão de frutas e sucos de frutas respondendo a um questionário de frequência alimentar, e então avaliados:

  • Glicose plasmática em jejum
  • Teste de tolerância oral à glicose 2h
  • Sensibilidade à insulina
  • Presença de diabetes no acompanhamento (5 e 12 anos de seguimento)

Resultados surpreendentes

A ingestão total de frutas foi inversamente associada com a insulina sérica e HOMA2-% β, e positivamente associada com HOMA2-% S no início do estudo. Em comparação com os participantes com a ingestão mais baixa, os participantes com ingestão moderada de frutas totais tiveram 36% menos chances de ter diabetes em 5 anos (odds ratio, 0,64; IC 95%, 0,44-0,92), após o ajuste para fatores de confusão dietéticos e de estilo de vida. As associações com os resultados de 12 anos não foram estatisticamente significativas.

O trabalho quantificou que as pessoas que consumiram mais frutas, especialmente maçãs, tiveram que produzir menos insulina para reduzir seus níveis de glicose sanguínea.

Leia também: Novos medicamentos trazem inovação no tratamento do diabetes

O suco de frutas não foi associado positivamente

No entanto, o suco de frutas não foi associado a melhores níveis de glicose ou insulina, ou menor risco de diabetes, possivelmente por causa de sua carga glicêmica relativamente alta e menos fibras benéficas, especulam os pesquisadores; dados adicionais sugerem que mesmo suco com fibra adicionada não provoca saciedade.

Conclusão

O estudo apoia a recomendação do Australian Dietary Guidelines: 2 porções de frutas por dia, sendo uma porção de 150 gramas, o que corresponde a uma maçã, laranja ou banana de tamanho médio, e não suco, pode desempenhar um papel na proteção ao desenvolvimento de diabetes tipo 2.

Autora:

Referência bibliográfica:

  • Nicola P Bondonno, et al. Associations Between Fruit Intake and Risk of Diabetes in the AusDiab Cohort, The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, 2021;, dgab335, https://doi.org/10.1210/clinem/dgab335

 

 

Compartilhar
Publicado por
Juliana Olivieri

Posts recentes

Check-up Semanal: nova diretriz para TPV, probióticos na tolerância à APLV e mais! [podcast]

Check-up Semanal: confira as últimas notícias sobre as novas diretrizes para TPV, o uso de…

14 horas atrás

Atualização no tratamento da hipertensão arterial pulmonar

A hipertensão arterial pulmonar (HAP) era até pouco tempo uma doença com prognóstico sombrio e…

16 horas atrás

Crianças e adolescentes não sofrem lesões ligamentares do tornozelo?

Uma revisão sistemática recentemente buscou determinar a incidência dos diferentes tipos de lesões laterais do…

17 horas atrás

O papel do peptídeo natriurético cerebral na fibrilação atrial

Estudo investigou o efeito do NT-proBNP basal na recorrência de FA após ablação por catéter…

18 horas atrás

Tratamento da policitemia vera: conceitos importantes

Muitos pacientes com policitemia vera são assintomáticos e descobrem a doença acidentalmente, em hemograma realizado…

19 horas atrás

Dia do Médico 2021: o que devemos focar na nossa carreira e trajetória médica?

No Dia do Médico 2021, a PEBMED e o Whitebook vêm até vocês para falarmos…

20 horas atrás