Terapia Intensiva

A utilização da ECMO na Covid-19: direto ao ponto

Tempo de leitura: 4 min.

A ECMO (Extracorporeal Membrane Oxygenation), sigla para Oxigenação Extracorpórea por Membrana, constitui um dos recursos avançados no manejo de pacientes com hipoxemia grave e refratária. O dispositivo pode oferecer suporte circulatório e pulmonar. Dotado de uma membrana capaz de oxigenar o sangue, além de uma bomba de pulso contínuo, impulsiona o sangue através de cânulas venosas e/ou arteriais.

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Modalidades da ECMO

As modalidades principais são a venovenosa (VV – “ECMO respiratória”) e a venoarterial (VA). A ECMO VV fornece suporte pulmonar. A ECMO VA fornece suporte pulmonar e circulatório. Em ambas, uma cânula de drenagem remove o sangue do corpo e o direciona através de uma bomba a uma membrana (utiliza o mesmo princípio da diálise — difusão) na qual será oxigenado. Enquanto isso, o CO2 (mais difusível que o O2) é removido da corrente sanguínea. O dispositivo então devolve o sangue oxigenado ao corpo através de uma cânula de devolução (se VV, a cânula é venosa; se VA, a cânula é arterial). A oxigenação é controlada por meio da frequência do fluxo, ou seja, para aumentar a SpO2 o fluxo será manipulado. A eliminação de CO2 é feita pelo fluxo de gás contracorrente da membrana (“sweep gas”), ou seja, se o objetivo é reduzir o nível de CO2, o fluxo de gás deverá ser aumentado.

Leia também: Quais os motivos da “hipoxemia silenciosa” na Covid-19?

No entanto, vale ressaltar que a ECMO é uma terapia de suporte, visando estabelecer uma ponte, seja até melhora ou transplante, por exemplo. Além disso, diante da pandemia por Covid-19 e o alto número de casos graves com hipoxemia refratária, daremos um maior detalhe nesse texto à “ECMO respiratória”, a ECMO VV. Tal modalidade, ao substituir a função pulmonar de oxigenação e eliminação de CO2, permite o emprego de parâmetros ventilatórios protetores ou até mesmo ultraprotetores, reduzindo o risco de VILI (injúria pulmonar induzida pela ventilação mecânica) e conferindo maior proteção pulmonar.

Indicações e contraindicações

As indicações clássicas para o emprego da ECMO VV são:

  • Doença pulmonar aguda/reversível;
  • PaO2/FiO2 < 50 a 80 com FiO2 de 100%, refratária à outras estratégias;
  • Escore de Murray > 3;
  • pH < 7,2 por hipercapnia com pouca acidose metabólica;

São contraindicações relativas:

  • Período prolongado de VM (> 7 dias);
  • Idade acima de 65 anos;
  • Coma pós-PCR;
  • Neoplasia avançada;
  • Sangramento incoercível;
  • Hemorragia do sistema nervoso central.

Vários algoritmos de decisão clínica foram desenvolvidos. A Extracorporeal Life Support Organization (ELSO), no documento “Recomendações ELSO: ECMO para pacientes com Covid-19 com insuficiência cardíaca e/ou pulmonar grave”, sugere a utilização do algoritmo abaixo.

Extraído de: Recomendações ELSO: ECMO para pacientes com Covid-19 com insuficiência cardíaca e/ou pulmonar grave.

A pandemia impõe alto consumo de recursos hospitalares, levando à sobrecarga de sistemas de saúde. A ECMO demanda recursos avançados, tanto de equipe especializada quanto de materiais, não amplamente disponíveis em todos hospitais brasileiros. A Covid-19, em sua forma mais grave, pode levar a quadros de hipoxemia refratária, nos quais a ECMO tem papel importante. É necessário então que recomendações específicas sejam colocadas à discussão quando da indicação e utilização desse recurso no momento atual.

ECMO na Covid-19: o que diz a ELSO (Extracorporeal Life Support Organization)?

A ECMO deve ser considerada para pacientes com COVID-19?

Essa decisão é de responsabilidade local (hospitalar e regional). É uma decisão caso a caso que deve ser reavaliada regularmente com base no número de pacientes, na equipe e em outras restrições de recursos, bem como nas políticas governamentais, regulamentares ou hospitalares locais. Se o hospital precisar comprometer todos os recursos com outros pacientes, a ECMO não deverá ser considerada até que os recursos estejam disponíveis. Se o hospital considerar que a ECMO pode ser realizada com segurança, ela deve ser oferecida a pacientes com um bom prognóstico com o uso da ECMO e, talvez, a outros pacientes que se qualificam para esse tipo de suporte (veja abaixo). O uso da ECMO em pacientes com uma combinação de idade avançada, múltiplas comorbidades ou falência de múltiplos órgãos deve ser exceção.”

O trecho acima foi retirado das “Recomendações ELSO: ECMO para pacientes com Covid-19 com insuficiência cardíaca e/ou pulmonar grave.”

Quais evidências atuais sobre a utilização de ECMO durante a pandemia?

Foi publicada em 02 de fevereiro de 2021, na Intensive Care Medicine, uma análise retrospectiva de 190 pacientes com hipoxemia refratária por Covid-19, tratados com ECMO. O estudo, intitulado “Extracorporeal membrane oxygenation in patients with severe respiratory failure from COVID-19”, trouxe as características clínicas e desfechos desses pacientes. A análise dos desfechos contou com a metodologia do tipo target trial.

Visando estimar o benefício da ECMO sobre a mortalidade, foi emulado um estudo-alvo com dois grupos: pacientes que receberam ECMO contra o de pacientes que não receberam ECMO dentro de 7 dias da admissão na UTI entre pacientes ventilados mecanicamente com hipoxemia grave (PaO2/FiO2 < 100). Os pacientes foram acompanhados até a alta hospitalar, óbito ou um mínimo de 60 dias.

Saiba mais: EuroElso 2019: efeitos da vancomicina em pacientes submetidos à ECMO

Entre os 1.297 pacientes elegíveis para a emulação do estudo-alvo, 45 dos 130 (34,6%) que receberam ECMO morreram e 553 dos 1.167 (47,4%) que não receberam ECMO morreram. Os pacientes que receberam ECMO tiveram mortalidade mais baixa do que aqueles que não receberam (HR 0,55; IC 95% 0,41–0,74). O estudo conclui que, em um perfil de pacientes selecionados, a ECMO pode reduzir a mortalidade.

Mensagens Práticas

Nossas mensagens práticas levarão em conta editorial publicado na Critical Care por autores como Jean-Louis Vincent e Daniel Brodie (3) e recomendações da ELSO (1):

  • Uma questão importante a ser levantada no cenário ECMO x Covid-19 é: como garantir uma terapia de elevado consumo de recursos avançados quando os sistemas estão sobrecarregados?
  • A gravidade acentuada de alguns quadros de hipoxemia na Covid-19 antecipa a necessidade de ECMO para um grande número de pacientes. No entanto, circunstâncias que limitam a disponibilidade de recursos aumentam o limiar da indicação de terapias mais complexas;
  • De acordo com a ELSO, com base nas evidências e resultados médicos atuais, não é apropriado afirmar que “a ECMO nunca deva ser considerada para pacientes com Covid-19”
  • Em suma, a ECMO tem seu papel na Covid-19, com sugestão de benefício por evidências recentes. Devemos considerar, no contexto de pandemia, a utilização racional desse recurso em um cenário de sobrecarga.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

Compartilhar
Publicado por
Filipe Amado
Tags: Covid-19ecmo

Posts recentes

Existe relação entre os parâmetros do plaquetograma e a mortalidade por Covid-19?

Estudo foi realizado para avaliar uma possível relação entre mortalidade intra-hospitalar por Covid-19 e valores…

14 horas atrás

Whitebook: MCCP – Método clínico centrado na pessoa

Em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do  Whitebook Clinical Decision vamos falar um pouco…

18 horas atrás

Proposta de nomenclatura universal para insuficiência cardíaca (IC)

As definições da insuficiência cardíaca (IC) são extremamente heterogêneas, isso dificulta definir a doença para…

1 dia atrás

Miopatias em pacientes adultos com hipotireoidismo

Pacientes com hipotireoidismo mais grave ou não tratados têm maior probabilidade de desenvolver doença muscular…

2 dias atrás

Você ainda se lembra das manifestações oftalmológicas da Zika congênita? 

Em artigo publicado em maio de 2021, Ventura at al. relataram as manifestações oftalmológicas da…

2 dias atrás

Covid-19: gestantes e puérperas que tomaram a primeira dose da vacina Astrazeneca

Algumas gestantes apresentaram desfechos desfavoráveis por eventos tromboembólicos após a vacinação com a vacina Astrazeneca/Oxford.

2 dias atrás