Pediatria

AAP 2021: associação de amamentação com asma infantil

Tempo de leitura: 3 min.

O papel da amamentação na asma infantil é controverso há muito tempo. A maioria das pesquisas se refere a países desenvolvidos com escassa literatura disponível em países em desenvolvimento como a Índia, onde um fenótipo diferente de asma é prevalente. Além disso, a pandemia de Covid-19 aumentou ainda mais a ansiedade das mães em amamentar seu filho.

Um interessante estudo da Armed Forces Medical College da Índia, publicado na AAP Experience 2021, congresso da American Academy of Pediatrics, examinou a associação da duração e exclusividade da amamentação com asma infantil e sua gravidade, medida pelo Pico de Fluxo Expiratório (PFE).

Amamentação e asma

Métodos: foi conduzido um estudo de caso-controle em Pune, Índia. Foram incluídas 180 crianças com asma (casos) e 180 sem (controles). Um questionário padronizado registrou dados demográficos, anamnese e de amamentação. As leituras do PFE foram obtidas de cada criança.

A regressão logística condicional e a regressão linear foram utilizadas para explorar a associação da amamentação com asma e PFE, respectivamente.

Resultados

A duração média da amamentação entre os casos foi de 5 meses em comparação com os controles de 9 meses. A prevalência de aleitamento materno exclusivo entre as mães foi de 60% (50% entre os casos e 69% entre os controles). O aleitamento materno exclusivo foi associado a 46% menos chance de ter asma. A duração da amamentação foi significativamente associada à menor probabilidade de ter asma e um aumento de 1 mês na duração da amamentação foi associado a 23% de redução do risco da doença.

As chances de asma materna, tabagismo paterno e tabagismo materno foram maiores entre crianças com asma em comparação com crianças sem asma. O peso da criança e a duração da amamentação estavam negativamente associados ao PFE. História asmática materna, alergias associadas, tabagismo paterno e escolaridade dos pais foram positivamente associados com PFE para a amostra geral.

Conclusão

O aleitamento materno exclusivo e prolongado mostrou fatores de proteção para o desenvolvimento de asma. Concluindo que a promoção do aleitamento materno e a cessação do tabagismo devem ser uma prioridade no controle da asma infantil. Mais pesquisas devem ser realizadas para explorar a correlação negativa encontrada entre a duração e a frequência da amamentação e o PFE.

Estamos acompanhando o congresso da AAP 2021. Fique ligado no Portal PEBMED!

Mais do AAP Experience 2021:

Autora:

Compartilhar
Publicado por
Larissa Pires Marquite da Silva

Posts recentes

Confira: Profilaxia de TVP atualizado

O Whitebook teve 97 conteúdos atualizados, entre eles Profilaxia de TVP. Saiba os detalhes da…

7 horas atrás

Interpretação da Troponina. Como avaliar o exame? [vídeo]

No episódio de hoje, confira o bate-papo entre especialistas sobre a indicação da troponina. Quando…

8 horas atrás

Medicina Baseada em Evidências: como avaliar um guideline?

Os guidelines são importantes instrumentos na prática médica e em outras profissões relacionadas aos cuidados…

9 horas atrás

Covid-19: OPAS/OMS alerta sobre o uso racional de testes de diagnóstico

A OPAS/OMS emitiu um alerta epidemiológico sobre o uso e priorização dos testes diagnósticos (antígeno…

9 horas atrás

Atopia: o que é e como os probióticos auxiliam no tratamento

A atopia é marcada pela presença de anticorpos imunoglobulina E específicos para alérgenos séricos ou…

11 horas atrás

Covid-19: o que esperar para o futuro?

Depois de dois anos de pandemia de Covid-19, ainda existem muitas incertezas sobre o que…

12 horas atrás