Categorias: Pediatria

AAS em Kawasaki pode ser usado em dose baixa?

Queremos saber a sua opinião! Gostou de ouvir essa notícia em áudio? Clique aqui e responda nossa pesquisa.

O ácido acetilsalicílico (AAS) faz parte do tratamento recomendado para doença de Kawasaki, mas ainda não existe um consenso sobre a dose ideal. Um novo artigo publicado na Pediatrics indica que o AAS pode ser usado em dose baixa.

Para o presente estudo (de coorte multicêntrico, retrospectivo e não randomizado), os pesquisadores incluíram 1.213 crianças, de 0 a 10 anos, com doença de Kawasaki na fase aguda, de cinco instituições americanas, entre 2004 e 2015. Todos os participantes receberam AAS e imunoglobulina intravenosa dentro de 10 dias após o início da febre.

Entre os indivíduos, 848 receberam dose alta (80 mg/kg por dia) e 365 receberam dose baixa de AAS (3 – 5 mg/kg por dia) para prevenção de anormalidades da artéria coronária.

Veja também: ‘Kawasaki: o que você precisa saber das novas diretrizes’

Não houve diferença no risco de anormalidades da artéria coronária na dose baixa, em comparação com o grupo AAS de alta dose (22,2% versus 20,5%). A diferença de risco ajustada para possíveis fatores de confusão foi de 0,3% (intervalo de confiança [IC] de 95%: -4,5% a 5,0%). A diferença de risco ajustada para anormalidades que persistiram no seguimento de 6 semanas foi de -1,9% ([IC] de 95%: -5,3% a 1,5%).

Pelos resultados, os pesquisadores concluíram que, em associação com imunoglobulina intravenosa, AAS em dose baixa pode ser usada na doença de Kawasaki aguda para reduzir o risco de anormalidades da artéria coronária.

O Whitebook tem tudo que você precisa saber sobre o manejo do paciente com doença de Kawasaki. Clique aqui e baixe GRÁTIS o aplicativo #1 do médico brasileiro!

Referências:

  • Aspirin Dose and Prevention of Coronary Abnormalities in Kawasaki Disease. Frederic Dallaire, Zoe Fortier-Morissette, Samuel Blais, Anita Dhanrajani, Dania Basodan, Claudia Renaud, Mathew Mathew, Astrid M. De Souza, Audrey Dionne, Joel Blanchard, Harrison Saulnier, Kimberley Kaspy, Soha Rached-d’Astous, Nagib Dahdah, Brian W. McCrindle, Derek G. Human, Rosie Scuccimarri. Pediatrics Jun 2017, 139 (6) e20170098; DOI: 10.1542/peds.2017-0098
Compartilhar
Publicado por
Vanessa Thees

Posts recentes

Crianças internadas em UTI sofrem uma elevada carga de sequelas psicológicas

Uma revisão sistemática com metanálise encontrou uma elevada carga de sequelas psicológicas entre crianças que…

2 horas atrás

Novo tratamento para crianças que sofrem de incontinência urinária e prisão de ventre é eficaz

Novo tratamento eficaz para disfunção vesical e intestinal na infância (DVI), condição que consiste em…

3 horas atrás

A precarização do trabalho durante a pandemia por Covid-19

A precarização do trabalho, vem se desenhando há muito tempo, caracterizando uma dinâmica de dificuldades…

4 horas atrás

A infecção pelo SARS-CoV-2 e a vacinação contra Covid-19 interferem na fertilidade do casal?

Pesquisadores desenvolveram um estudo para avaliar uma possível interferência da vacina contra Covid-19 na fertilidade…

5 horas atrás

Conjuntivites na Atenção Primária: quais os pontos de atenção? [podcast]

Neste episódio, o Dr. Renato Bergallo, especialista em Medicina de Família e conteudista do Whitebook,…

19 horas atrás

Revista PEBMED: 7ª edição traz MBE; baixe grátis!

Baixe agora mesmo a 7ª edição da Revista PEBMED, com foco em MBE - Medicina…

21 horas atrás