Página Principal > Cardiologia > AAS: maior risco de sangramento grave em idosos
mão segurando duas pilulas de remedio

AAS: maior risco de sangramento grave em idosos

Tempo de leitura: 1 minuto.
Os resultados de um estudo de 10 anos, publicado esse mês no The Lancet, indica que os indivíduos com 75 anos ou mais que tomam aspirina (AAS) diariamente enfrentam um risco elevado de sangramento grave ou fatal.

Segundo dados do estudo, de 40 a 60% de pessoas na Europa e nos Estados Unidos com mais de 75 anos tomam aspirina todos os dias para evitar ataques cardíacos. Para o presente ensaio, foram avaliados 3.166 indivíduos (metade com idade superior a 75 anos), que sofreram infarto ou AVC e estavam tomando AAS.

Os achados mostraram que a taxa anual de sangramentos graves ou fatais foi inferior a 0,5% em menores de 65 anos, aumentando para 1,5% em idosos com idades entre 75 e 84 anos e 2,5% naqueles com mais de 85 anos.

Para os autores do estudo, esses resultados não significam que os pacientes idosos devem interromper a AAS, mas sim aliar ao uso de inibidores da bomba de próton, como omeprazol, que podem reduzir o risco de sangramento gastrointestinal superior em até 90%.

Quer receber diariamente notícias médicas no seu WhatsApp? Cadastre-se aqui!

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.