Abertas chamadas públicas para o financiamento de pesquisas contra o novo coronavírus

Tempo de leitura: 2 min.

Pesquisadores brasileiros já podem inscrever projetos de enfrentamento ao novo coronavírus para receber recursos financeiros do Governo Federal, através de uma parceria entre os ministérios da Saúde (MS) e de Ciência, tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Serão investidos R$ 50 milhões no financiamento de onze linhas temáticas, que incluem o desenvolvimento de novos métodos de prevenção e controle, diagnóstico, tratamento e vacinas contra o novo coronavírus e outras doenças respiratórias.

As propostas devem ser encaminhadas até o dia 27 de abril na Plataforma Carlos Chagas. O resultado será divulgado em 15 de junho.

“Além de buscar soluções para a pandemia mundial, essa chamada pública contribui para o fortalecimento da ciência brasileira. Colabora para o avanço do conhecimento, da formação de recursos humanos, da geração de produtos nacionais e da formulação, implementação e avaliação de ações públicas voltadas para a melhoria das condições de saúde da população brasileira”, afirmou Camile Giaretta, diretora do Departamento de Ciência e Tecnologia, da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde do Ministério da Saúde.

Leia também: Coronavírus: confira as vagas emergenciais para médicos e outros profissionais de saúde

Quem poderá participar

Podem participar pesquisadores com título de doutor ou livre docência e que sejam vinculados a Instituições Científica, Tecnológica e de Inovação (ICT), públicas ou particulares sem fins lucrativos.

Devido à emergência de saúde pública, as pesquisas contratadas por essa chamada pública devem informar os seus resultados parciais e finais ao longo do desenvolvimento, pois os seus achados e evidências serão relevantes para a tomada de decisões e também para a gestão em saúde no atendimento de pacientes e contenção da transmissão da doença.

O banco de dados dos estudos também deverá ser disponibilizado ao Ministério da Saúde, quando solicitado.

Critérios

Os critérios que definirão a contratação dos estudos, além do mérito científico, baseiam-se na aplicabilidade para o Sistema Único de Saúde (SUS), potencial impacto e relevância do projeto para o aprimoramento da atenção à saúde e vigilância da Covid-19, perspectiva de impacto positivo nas condições de saúde da população e participação em rede ou em estudos multicêntricos ou com abrangência nacional.

FAPESP também vai financiar pesquisas para o combate ao coronavírus

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) também lançou duas chamadas de propostas no valor de R$ 30 milhões para direcionar iniciativas de pesquisa ao combate do novo coronavírus.

O objetivo é estimular micro e pequenas empresas a desenvolver projetos que resultem em inovações tecnológicas voltadas para o diagnóstico e tratamento dos doentes.

Na primeira chamada, a expectativa é mobilizar pesquisadores em torno dos estudos das características epidemiológicas da doença, no desenvolvimento de testes diagnósticos, terapias e procedimentos terapêuticos, nos estudos sobre aspectos críticos da infecção viral, na pesquisa em procedimentos clínicos, na identificação e avaliação das respostas imunes, nas investigações epidemiológicas e na pesquisa sobre a contenção e minimização de comportamentos contraproducentes para a epidemia.

Já em uma segunda chamada, o objetivo é apoiar micro e pequenas empresas, além de startups dispostas a aplicar ou escalonar processos ou produtos inovadores relacionados à doença, a exemplo de kits diagnósticos, ventiladores pulmonares, equipamentos de proteção aos profissionais da saúde, soluções de tecnologias digitais e inteligência artificial para os serviços de saúde ou atendimento aos pacientes.

Confira mais detalhes sobre o financiamento da FAPESP aqui.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autora:

Referências bibliográficas:

Compartilhar
Publicado por
Úrsula Neves

Posts recentes

STRIDE II: o que há de novo nos alvos terapêuticos das doenças inflamatórias intestinais?

A IOIBD publicou, recentemente, uma atualização dos alvos terapêuticos das doenças inflamatórias intestinais. Saiba mais.

30 minutos atrás

Vacina HPV: câncer cervical diminui incidência, mas outros cânceres induzidos aumentam

Apesar das regressões de cânceres cervicais, o aumento de neoplasias de outros sítios também relacionadas…

1 hora atrás

Medidas de proteção contra Covid-19 podem alterar a incidência de outras doenças

Com o início da pandemia de Covid-19, várias medidas de proteção têm sido estabelecidas com…

2 horas atrás

Como a vacina da Pfizer contra Covid-19 se comporta em pacientes com doenças reumáticas?

Diversas vacinas têm sido utilizadas no combate à pandemia da Covid-19, dentre elas, a vacina…

4 horas atrás

Médicos e pacientes devem notificar efeitos adversos das vacinas para a Anvisa

Médicos e pacientes devem notificar os efeitos adversos das vacinas no portal da Agência Nacional…

5 horas atrás

A relevância da vacinação contra a gripe durante a pandemia da Covid-19

A vacinação contra gripe é uma estratégia eficaz no combate à doença que ganha ainda…

6 horas atrás