Emergências

ABRAMEDE 2021: Como utilizar trombolíticos em pacientes com embolia pulmonar?

Tempo de leitura: 2 min.

A sessão hemodinâmica do segundo dia do congresso da Associação Brasileira de Medicina de Urgência e Emergência (ABRAMEDE 2021) trouxe, entre outros tópicos interessantes, a abordagem do uso de trombolíticos em pacientes com embolia pulmonar, em apresentação do Dr° Dario Gracia.

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Embolia pulmonar

O palestrante chamou a atenção para o elevado índice de ocorrência de eventos tromboembólicos, sobretudo nos pacientes com formas graves de Covid-19. Em algumas casuísticas, chegando a 30% dos casos encontrados como causa de óbito em autópsias. Isso gera a necessidade de alto grau de suspeição e sempre tendo à mão quando possível, uma avaliação ecocardiográfica adequada.

Relembrou ainda a classificação de gravidade:

  • Leve: TEP sem disfunção de VD;
  • Moderada: TEP com disfunção de VD, mas sem instabilidade hemodinâmica;
  • Grave: TEP com disfunção de VD e instabilidade hemodinâmica.

Um ponto interessante foi o uso da troponina como marcador de severidade e de risco aumentado para desfecho negativo na evolução dos casos.

Quanto ao diagnóstico, o ideal seria ter a possibilidade de usar a angiotomografia de tórax com a realização do protocolo TEP, porém em alguns casos, pela gravidade elevada dos pacientes, o alto grau de suspeição clínica, associado ao uso de escores de risco e da ecocardiografia, podem ser decisivos na tomada de condutas que possam salvar vidas.

Em relação ao uso do trombolítico, hoje não há muitas dúvidas em relação aos benefícios do seu uso. É amplamente documentado que nos casos graves, ou seja, com instabilidade hemodinâmica, o uso de trombolítico é indicado com consistente benefício da redução de mortalidade, apesar do evidente risco aumentado de eventos hemorrágicos, que podem ser estratificados com escores já bem consolidados na literatura.

Deve-se sempre lembrar ainda, das contraindicações formais para o uso do trombolítico sistêmico, que quando presentes, demanda abordagens alternativas como a trombectomia mecânica endovascular ou aberta.

Continue acompanhando a cobertura do congresso no Portal PEBMED!

Veja mais do ABRAMEDE 2021:

Autor:

Compartilhar
Publicado por
Hiago Bastos

Posts recentes

13 conteúdos novos no Whitebook: destaque para Abordagem ao Infiltrado Intersticial Pulmonar Bilateral

Acesse o Whitebook e saiba quais são os conteúdos novos do app! Adicionamos 13 temas…

3 horas atrás

Benefícios da dança no climatério: novo trabalho publicado pela Menopause

A maior revista sobre climatério, Menopause, divulgou um trabalho avaliando como a prática da dança…

3 horas atrás

Aplicações estéticas e terapêuticas da toxina botulínica

A toxina botulínica é utilizada desde a década de 1970 e tem se tornado uma…

4 horas atrás

Transplante de pulmão volta a ser realizado no Rio de Janeiro após 15 anos

Após um período de 15 anos, o estado do Rio de Janeiro voltou a realizar…

5 horas atrás

Clampeamento tardio do cordão umbilical versus ordenha do cordão umbilical

Já é sabido que o clampeamento tardio do cordão umbilical facilita a transição fisiológica da…

6 horas atrás

Reflexões sobre saúde e sua relação com o avanço da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC)

A PNPIC considera diversos aspectos do indivíduo e o insere no centro da atenção, considerando…

7 horas atrás