Página Principal > ACC 2019 > Anlodipino na hipertensão em pacientes negros [ACC 2019]
hipertensão

Anlodipino na hipertensão em pacientes negros [ACC 2019]

Tempo de leitura: 2 minutos.

Nas principais diretrizes de hipertensão, já há a recomendação da preferência por diuréticos e bloqueadores dos canais de cálcio em negros e idosos. Contudo, poucos estudos clínicos haviam feito comparações head-to-head com populações específicas. No ACC 2019, foram apresentados dados do estudo CREOLE, que randomizou pacientes hipertensos para três opções de tratamento:

  • Anlodipino+perindopril
  • Anlodipino+hidrocloratiazida
  • Perindopril+hidrocloratiazida

Foram cerca de 620 pacientes em cada grupo e a PA foi avaliada por MAPA de 24h, padrão-ouro para medir a eficácia na redução pressórica. Os resultados mostram que os esquemas com anlodipino foram superiores, com redução na PA sistólica de 17-18 mmHg, estatisticamente superior ao esquema iECA/HCTZ (14 mmHg). Não houve diferença se o anlodipino foi associado com HCTZ ou iECA.

Leia maisHipertensão arterial: como deve ser a abordagem do enfermeiro?

Qual a mensagem clínica? Em pacientes negros de fato os bloqueadores dos canais de cálcio são mais eficazes e devem fazer parte do esquema anti-hipertensivo quando dois ou mais fármacos são necessários.

ACC 2019: cobertura PEBMED

Neste final de semana, a PEBMED vai trazer as principais notícias do congresso do American College of Cardiology, fique ligado em nosso Portal!

É médico ou enfermeiro e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.