Achados retinianos são encontrados em pacientes com Covid-19

Tempo de leitura: 2 min.

Até o momento as alterações oculares relatadas associadas ao coronavírus foram doenças externas oculares, como a conjuntivite. Um grupo brasileiro do setor de retina do departamento de oftalmologia da UNIFESP enviou uma correspondência a The Lancet, publicada ontem, relatando alterações também no segmento posterior do olho.

Alterações retinianas na Covid-19

A tomografia de coerência óptica (OCT), que é uma técnica de imagem não invasiva, tem sido útil para demonstrar alterações retinianas subclínicas em condições sistêmicas (Parkinson, diabetes, Alzheimer etc.) e foi utilizada para demonstrar alterações retinianas também nos pacientes infectados com o SARS-CoV-2.

Neste estudo foram identificadas alterações retinianas em 12 adultos (seis homens e seis mulheres, com idades de 25 a 69 anos) examinados de 11 a 33 dias após o início dos sintomas. Desses, nove eram médicos e outros dois trabalhadores da área de saúde. Nove testaram positivo para SARS-CoV-2 pelo métodos de PCR e dois testaram positivo através de testagem de anticorpos para Covid-19.

Todos os pacientes tiveram febre, dispneia, astenia e 11 desses também apresentaram anosmia. Dois pacientes foram admitidos em unidade hospitalar, mas não necessitaram de cuidados intensivos.

Leia também: Quais as possíveis manifestações oculares relacionadas ao novo coronavírus?

Resultados

Foram usados dois aparelhos de OCT diferentes [DRI-OCT Triton SweptSource (Topcon, Tokyo, Japan) e XR Avanti SD-OCT (Optovue, Fremont, CA, USA)] . Todos os pacientes apresentaram lesões hiper reflexivas no nível das células ganglionares e camada plexiforme interna, de forma mais proeminente no feixe papilomacular, em ambos os olhos. O resultado da angiografia por OCT e da análise do complexo de células ganglionares foi aparentemente normal.

Quatro pacientes apresentaram manchas algodonosas subitamente e micro-hemorragias ao longo das arcadas retinianas, observadas na fundoscopia, retinografia colorida e imagem “red free”. A acuidade visual e os reflexos pupilares eram normais em todos os olhos examinados e não havia sinais e sintomas de inflamação intraocular.

Esse é o primeiro artigo que demonstra alterações retinianas associadas ao Covid-19. Os achados em células ganglionares e camada plexiforme podem estar associados a manifestações de sistema nervoso central, que já foram descritos em estudos em animais e em eventos neurológicos em pacientes com a doença pelo novo coronavírus.

Quer receber as principais novidades e os números sobre a pandemia de Covid-19? Inscreva-se e receba nossa news diária!

Autora:

Referências bibliográficas:

Marinho PM, et al. Retinal findings in patients with COVID-19. The Lancet. May 12, 2020. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(20)31014-X

Compartilhar
Publicado por
Juliana Rosa

Posts recentes

Ondansetrona e antieméticos: Comparação entre seus tratamentos em gestantes

A ondansetrona tem sido recentemente estudada em coortes cada vez maiores, comparada com outros antieméticos.…

13 horas atrás

Whitebook: dor abdominal crônica em crianças

Em nossa publicação semanal de conteúdos do  Whitebook vamos falar sobre a apresentação clínica da…

17 horas atrás

Dia Internacional da Luta contra a Endometriose

A endometriose é uma doença ginecológica, descrita pela literatura científica como inflamatória, crônica, benigna e…

1 dia atrás

IM/ACP 2021: highlights do congresso de Medicina Interna do ACP [podcast]

Neste episódio do podcast da PEBMED, nossos médicos comentam sobre os destaques do congresso de…

1 dia atrás

Maio chegou e com ele muitas novidades no Nursebook! 

A partir de agora, o nosso app conta com uma Calculadora de Dimensionamento de Equipe…

1 dia atrás

Covid-19: novas variantes são encontradas em São Paulo e Rio de Janeiro

Novas variantes (suíça B.1.1.318 e sul-africana B.1.351) do novo coronavírus (causador da Covid-19) foram encontradas…

2 dias atrás