Home / Hematologia / Ácido tranexâmico é eficaz para reduzir hemoptise?
doença hepática

Ácido tranexâmico é eficaz para reduzir hemoptise?

Hematologia
Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Tempo de leitura: 2 minutos.

O ácido tranexâmico (TXA), um antifibrinolitico inibidor do plasminogênio, é comumente usado para o controle e profilaxia de hemorragias. O tratamento imediato com TXA mostrou-se eficaz no paciente que apresenta sangramento grave e o resultado foi verificado pelo aumento de sobrevida deste indivíduo.

Ácido tranexâmico x hemoptise

No entanto, até o momento não havia evidências dos benefícios do fármaco na terapia para a redução da hemoptise. O sintoma pode ser um preditivo para o câncer de pulmão ou tuberculose. Porém, pode ser originado por outras condições, como hipertensão venocapilar pulmonar, vasculite e leptospirose.

Leia mais: ATLS 10: há espaço para o ácido tranexâmico no controle do sangramento?

Pesquisadores realizaram recentemente um estudo para atestar a efetividade do ácido tranexâmico por inalação no controle dos níveis de expectoração de sangue. O levantamento contou com 47 voluntários diagnosticados com hemoptise provocada por várias causas. A pesquisa excluiu pacientes com expectoração de >200 ml/24h e instabilidade respiratória ou hemodinâmica. A mortalidade e a taxa de recorrência no sangramento foram verificadas no 30º dia e depois de 1 ano.

Resultados

O estudo duplo cego, multicêntrico e randomizado dividiu aleatoriamente os 47 pacientes em dois grupos. No primeiro grupo (n=25), os participantes foram nebulizados com TXA (500 mg 3x/d) e no segundo (n=22) com placebo (substância salina comum).

Ao final da pesquisa, foi constatado que o ácido tranexâmico foi associado a uma redução significativa da hemoptise e no volume de sangue expectorado já no segundo dia a partir da inalação de TXA por nebulização. No quinto dia, a melhora do sangramento nos participantes do primeiro grupo foi maior em comparação com o segundo grupo (96% vs 50%; P < 0,0005). Não foi observado nenhum efeito adverso nos dois grupos.

Tenha em mãos informações objetivas e rápidas sobre práticas médicas. Baixe o Whitebook

Referências:

  • Wand, O., Guber, E., Guber, A., Epstein Shochet, G., Israeli-Shani, L., & Shitrit, D. (2018). Inhaled Tranexamic Acid for Hemoptysis Treatment: A Randomized Controlled Trial. Chest. doi:10.1016/j.chest.2018.09.026

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.