Obstetrícia

Aconselhamento e intervenções comportamentais para peso saudável e ganho de peso na gravidez

Tempo de leitura: 2 min.

A obesidade em conjunto com outras patologias tem sido considerada entre as doenças do século. Vários são os fatores que tem levado muitas pessoas de culturas diferentes ao ganho de peso sem medida. Durante o período gestacional isso não é diferente. Nos EUA, 13% das mulheres grávidas eram obesas em 1993. Esse número subiu para 24% em 2015 sendo que, no mesmo ano, metade dessas iniciou seus pré-natais com IMC indicando sobrepeso ou obesidade. 

O ganho de peso é definido como a diferença de peso obtido antes da gestação (ou no primeiro trimestre) e no final da gestação. Em 2009, a Academia Nacional de Medicina sugeriu como ganho de peso ideal, de acordo com IMC:

  • IMC 18,5 a 24,9 (normal) – ganho total de 11 a 15 kg.
  • IMC 25,0 a 29,9 (sobrepeso) – ganho total de 7 a 11 kg. 
  • IMC acima de 30 (obesidade) – ganho total de 5 a 9 kg.
Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Estudo sobre ganho de peso na gravidez

Com a crescente onde de obesidade pelo mundo, particularmente nos EUA, o periódico JAMA publicou em sua edição de 25 de maio de 2021, um estudo revisional de literatura envolvendo aproximadamente 26 mil mulheres grávidas que receberiam aconselhamento pré-gestacional ou durante a gravidez para controle do ganho de peso na tentativa de evitar complicações materno-fetais durante a gravidez, parto e puerpério. 

Os dados mais evidentes demonstraram que as macrossomias feais, distócias no parto, hipertensão arterial e pré eclampsia, diabetes gestacional, partos operatórios com cesarianas entre outros, tem sido as complicações mais frequentes desse ganho de peso excessivo na gravidez. 

Leia também: Acidente vascular cerebral e gestação

A pesquisa envolveu as bases de dados da OVID e Biblioteca Cochrane. Após a seleção dos estudos observaram-se, apesar de alguns vieses e limitações de alguns estudos:

  • Com o controle mais rigoroso do ganho de peso diminuíram os casos de cesáreas de emergência. 
  • O aconselhamento pré gestacional e gestacional sobre o controle adequado do peso demonstraram menores índices de síndromes hipertensivas na evolução dessas gestantes. 
  • Além disso, com a manutenção de um peso adequado e um ganho dentro de limites considerados seguros, os índices de macrossomia fetal e fetos grandes para a idade gestacional caíram de forma contundente.

Conclusão

Com essa observação, nota-se a importância de pesar todas as gestantes todas as vezes que estiverem passando por avaliação médica. 

Autor:

Referências bibliográficas:

  • Jin J. Behavioral Interventions for Healthy Weight Gain During Pregnancy. JAMA. 2021;325(20):2126. doi:10.1001/jama.2021.7530

 

 

Compartilhar
Publicado por
João Marcelo Martins Coluna

Posts recentes

O gasto energético total não varia dos 20 aos 63 anos

Estudo publicado em agosto buscou avaliar a variação no gasto energético total ao longo da…

1 hora atrás

Síndrome da Gaiola

A pandemia têm levado jovens a não querer sair de casa, preferindo o isolamento, desenvolvendo…

2 horas atrás

Adolescentes meninos procuram três vezes menos atendimento médico que as meninas

Assim como os homens adultos, os adolescentes meninos vão menos ao médico. Os dados foram…

3 horas atrás

Vem novidade por aí: mais calculadoras no Whitebook

Atualmente, o Whitebook possui mais de 100 calculadoras de especialidades variadas e mais de 20…

17 horas atrás

Helmet: uma revisão dos aspectos técnicos e achados clínicos

No contexto da Covid-19, o helmet foi um método amplamente utilizado no tratamento, por ser…

17 horas atrás

Dia Mundial da Prevenção à Síndrome Alcoólica Fetal: o que a exposição ao álcool na gravidez gera?

A síndrome alcoólica fetal é atribuída à ingestão de álcool na gestação. Essa síndrome é…

18 horas atrás