Cirurgia

ACSCC 2020: Como abordar dificuldades técnicas durante colecistectomias videolaparoscópicas?

Tempo de leitura: 2 min.

O assunto de como abordar dificuldades técnicas durante colecistectomias videolaparoscópicas, continua a ser um tema relevante no American College of Surgeons Clinical Congress (ACSCC 2020). A mesa “PS413-How To Do a Difficult Gallbladder” realizou uma abordagem bastante interessante sobre o assunto.

A nova tecnologia de verde de indocianina parece ajudar no melhor entendimento da anatomia e melhor julgamento, visto que 97% das lesões das vias biliares são por erro de interpretação da anatomia pelo cirurgião, Prof Raul J. Rosenthal abordou este assunto.

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Colecistectomias videolaparoscópicas

Sobre a colecistectomia aberta,  Bruce D. Schirmer deu dicas de como abordar uma provável conversão cirúrgica, visto que a grande maioria dos pacientes são inicialmente tratados por vídeo. A mais importante dica da aula: uma vez com dificuldade técnica de acesso a vesícula biliar, a dissecção deve começar superiormente e de lateral para medial afim de evitar lesão de colón ou duodeno. Além disto, em caso de lesões de vias biliares a mesma não deve ser reparada naquele momento.

Abordado parcialmente por Dr. Schimer, porém detalhado pela Profa. Kimberly S. Kirkwood, a colecistectomia parcial é uma opção viável e deve ser realizada em casos de grande dificuldade técnica, uma vez que o maior objetivo da cirurgia é a retirada dos cálculos. Uma vez feito isto, o processo inflamatório irá resolver.

O fechamento do coto infundibular não é mandatório, porém a drenagem deve ser ampla. A Dra Kirkwood apresenta a sua forma de drenagem onde coloca um dreno dentro do infundíbulo de vesícula e outro sentinela. Caso haja drenagem de conteúdo bilioso seus pacientes são encaminhados para CPER e realização de papilotomia.

Para levar para casa

Além da necessidade do “Critical View of Surgery” tão proclamado ultimamente, é fundamental saber que nem sempre teremos este tipo de visualização afim de completar a cirurgia, e uma colecistectomia parcial pode ser a melhor alternativa.

Como falado na aula do Prof. Rosenthal, as novas tecnologias, como o verde de indocianina, são uma evolução, sem necessariamente causar uma revolução do aparato cirúrgico.

Acompanhe o congresso com a gente! Veja também:

Autor:

Referência bibliográfica:

Compartilhar
Publicado por
Felipe Victer

Posts recentes

CHEST 2021: fibrose pulmonar idiopática – atualizações baseadas em evidências

A fibrose pulmonar idiopática (FPI) é a doença intersticial com maior prevalência no mundo. Em…

2 horas atrás

Os novos anticoagulantes orais estão sendo mais utilizados que os antagonistas da vitamina K em pacientes com FA?

Os novos anticoagulantes surgiram como uma alternativa e mostraram eficácia e segurança semelhante ou melhor…

1 dia atrás

Whitebook: coombs indireto – o que é e como solicitar?

Essa semana, falamos sobre o coombs indireto em obstetrícia. Em nossa publicação de conteúdos do…

1 dia atrás

Diagnóstico de policitemia vera: conceitos importantes

Policitemia vera é uma síndrome mieloproliferativa caracterizada por aumento da massa eritrocitária. Saiba mais.

2 dias atrás

AAP 2021: avaliação de sepse tardia e terapia empírica em prematuros extremos

O objetivo de um estudo apresentado na AAP 2021 foi definir a frequência da sepse…

2 dias atrás

Podcast da Pebmed: dissecção da artéria vertebral. Como diagnosticar e tratar? [podcast]

No episódio de hoje, Henrique Cal, vai discutir sobre causas que podem levar à dissecção…

2 dias atrás