Enfermagem

Agosto Dourado – Proteja a amamentação: uma responsabilidade compartilhada

Tempo de leitura: 4 min.

Não é à toa que o mês escolhido para simbolizar a luta pelo incentivo à amamentação é denominado como dourado. Essa cor representa o padrão ouro do leite materno, o alimento de melhor qualidade para os primeiros meses de vida de uma criança. A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde do Brasil recomendam o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de vida do bebê e, após isso, complementado até os dois anos ou mais, visto os inúmeros benefícios que a amamentação traz. 

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Importância da amamentação

O leite materno é considerado o alimento mais completo e econômico para os primeiros meses de vida porque garante nutrição, imunidade e redução da mortalidade infantil, além disso, é comprovado que desenvolve a inteligência da criança, diminui os índices de diarreia e infecções respiratórias, evita os riscos de doenças alérgicas, melhora a digestão e minimiza as cólicas, estimula a musculatura oral e o fortalece a dentição, reduz as chances de obesidade infantil e fortalece o vínculo materno.

São tantos benefícios que mesmo durante a pandemia de Covid-19 e em casos confirmados de contaminação da mãe, os riscos são superados e, por isso, a amamentação continua sendo recomendada, mas com alguns cuidados como o uso da máscara pela mulher e higienização das mãos.

O Brasil, ao longo dos últimos anos, desenvolveu algumas estratégias para promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno. Em 1981, o país lançou o Programa Nacional de Incentivo ao Aleitamento Materno e, em 2012, criou a Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil (EAAB).  Quanto às instituições que apoiam a amamentação, computa-se que, no ano de 2021, o Brasil disponha de 301 Hospitais Amigos da Criança e 222 Bancos de Leite Humano (BLH) em seu território. Esse conjunto de ações trouxe importantes resultados que de acordo com o Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil (Enani), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), aponta que o índice nacional de aleitamento materno exclusivo aumentou de 2,9% (em 1986) para 45,7% (em 2020). Salienta-se que a meta global é que se atinja 50% de amamentação exclusiva até 2025 e 70% até 2030.

Saiba mais: Como orientar a amamentação para mulheres com Covid-19?

Para destacar a importância do aleitamento materno no mundo, em 1991, foi criada a Aliança Mundial para Ação de Aleitamento Materno (WABA, na sigla em inglês). A WABA é formada pelos seguintes pilares: Instruir a população sobre a importância da proteção do aleitamento materno (AM); Apoiar a amamentação; Articular-se com redes institucionais e não institucionais, a fim de garantir maior impacto na divulgação do AM; Reforçar ações para proteger o AM e melhorar a saúde pública.

Semana Mundial de Aleitamento Materno

Essas e outras ações de incentivo à amamentação asseguram a promoção e a proteção da vida. Por essa razão, a WABA criou uma campanha para incentivar a prática de amamentar, a Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM), comemorada em mais de 150 países na primeira semana de agosto. No ano de 2021, o tema escolhido foi: “Proteja a amamentação: uma responsabilidade compartilhada”. A opção de escolher essa temática é que esta está alinhada com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), além de dispor de quatro objetivos principais: 

  • Informar e conscientizar ainda mais a população sobre a importância da amamentação;
  • Apoiar a amamentação como uma responsabilidade da saúde pública;
  • Articular organizações e indivíduos de gerar um grande impacto;
  • Potencializar as ações com a intenção de proteger o aleitamento com foco em melhorar a saúde coletiva.

Amamentar é a melhor maneira para iniciar a alimentação de um bebê e por isso é preciso incentivar, ainda mais, o ato de amamentar, por meio das redes de apoio, sejam elas o governo, a comunidade, familiares, amigos, profissionais da saúde e empregadores.

Leia também: Leite materno com anticorpos contra Covid-19 é produzido após lactantes serem vacinadas

Para comemorar a semana da amamentação, bem como todo o mês de agosto dourado, o Nursebook elaborou diversas ações para promover a amamentação e incentivar essa prática visando o bem estar de nossas crianças e seu desenvolvimento saudável.  

Artigo produzido em parceria com Mariana Marins.

Autora:

Referências bibliográficas:

 

Compartilhar
Publicado por
Isabelle Gaspar

Posts recentes

Intubação na escassez de sedativo: quais as alternativas medicamentosas? [podcast]

Neste episódio, o Dr. Filipe Amado falará sobre como realizar intubação no cenário de escassez…

9 horas atrás

Diagnóstico de mieloma múltiplo: o papel dos exames de imagem

O mieloma múltiplo (MM) é uma neoplasia hematológica que resulta da proliferação clonal de plasmócitos…

10 horas atrás

5 mnemônicos para salvar o plantão

Os mnemônicos, que já são consagrados como estratégia de estudo, também podem nos ajudar na…

11 horas atrás

Tapentadol x Oxicodona para controle da dor pós-operatória

A busca por um opioide com maior perfil de segurança para dor pós-operatória é altamente…

12 horas atrás

Dor no ombro após cirurgia de vesícula: foi a posição?

A dor no ombro é uma queixa bastante frequente após a cirurgia laparoscópica. Foi estudada…

13 horas atrás

Micofenolato de mofetila no manejo inicial da púrpura trombocitopênica imune

Púrpura trombocitopênica imune é uma condição autoimune que autoanticorpos antiplaquetários promovem a destruição das plaquetas…

14 horas atrás