Cardiologia

AHA 2019: rivaroxabana após TAVI é seguro?

Tempo de leitura: 1 min.

A inserção de uma prótese aórtica percutânea (TAVI) necessita de dupla antiagregação plaquetária (DAPT) por no mínimo três meses. No congresso da American Heart Association (AHA), deste fim de semana, foram apresentados os resultados do estudo GALILEO, que comparou duas estratégias:

  • AAS + clopidogrel, versus
  • AAS + rivaroxabana (10 mg).

O estudo teve que ser interrompido antes do final devido ao aumento de eventos adversos, em especial sangramento, no grupo com rivaroxabana. Houve, inclusive, aumento no risco de mortalidade, com razão de chances de 1,69!

Mensagem do estudo: só use NOAC após TAVI se houver outro motivo que não a prótese indicando (ex.: fibrilação atrial, trombose venosa profunda recente, etc).

Receba as principais novidades em Cardiologia no seu Whatsapp! Inscreva-se em nosso grupo!

Autor:

Referência bibliográfica:

Compartilhar
Publicado por
Ronaldo Gismondi

Posts recentes

Síndrome Metabólica e Colangiocarcinoma: destaques em Medicina Interna

Mais de 80 conteúdos publicados esta semana. Destaque para Medicina Interna, com Síndrome Metabólica e…

8 horas atrás

PEBMED e Saúde Global: Como aumentar a receita do consultório e na clínica

No episódio de hoje, Rodrigo Lima destaca os passos fundamentais para conseguir o aumento da…

9 horas atrás

Hepatite C: diagnóstico e manejo

No Brasil, entre os anos de 1999 e 2018, foram notificados 359.673 casos de hepatite…

13 horas atrás

Os diversos efeitos do álcool sobre o funcionamento do sistema imune

Quanto o álcool pode afetar o sistema imunológico e prejudicar os desfechos de doenças, quais…

14 horas atrás

Revisão de alimentos causadores de anafilaxia mais comuns por região 

As informações nos rótulos sobre a presença de alérgenos em alimentos é divulgada com base…

15 horas atrás

Cuidados de enfermagem na síndrome pós-Covid-19

Um dos grandes desafios que a enfermagem e a população têm enfrentado após a fase…

16 horas atrás