Página Principal > Clínica Médica > Alerta para risco de infecções genitais graves em pacientes em uso de inibidores de SGLT2
inibidores de SGLT2

Alerta para risco de infecções genitais graves em pacientes em uso de inibidores de SGLT2

Tempo de leitura: 2 minutos.

Os inibidores do co-transportador sódio-glicose 2 (SGLT2) agem no aumento da excreção urinária de glicose e têm se mostrado importantes aliados no controle do Diabetes Mellitus. Porém, recentemente, o Food and Drugs Administration (FDA) emitiu um alerta importante relacionando o uso dessas medicações a casos de fasciíte necrosante do períneo, a gangrena de Fournier. A nova advertência será adicionada às bulas de todos os agentes únicos e combinados com classe de medicamentos inibidores de SGLT2 aprovados para tratar diabetes tipo 2.

As medicações incluídas no alerta são:

Canagliflozina (Invokana, Invokamet, Invokamet XR; Janssen)

Dapagliflozina (Farxiga, Xigduo XR, Qtern, AstraZeneca)

Empagliflozina (Jardiance, Glyxambi, Synjardy, Synjardy XR, Boehringer Ingelheim / Eli Lilly)

Ertugliflozin (Steglatro, Segluromet, Stelujan, Merck)

O documento orienta os pacientes a procurarem atendimento médico imediatamente em caso de qualquer sintoma de sensibilidade, vermelhidão ou inchaço dos genitais ou da área dos genitais para o reto, e apresentar febre ou queda do estado geral. Os médicos devem estar atentos às queixas dos pacientes em uso das medicações citadas. Em caso de suspeita, o tratamento deve ser iniciado prontamente com antibióticos de amplo espectro e desbridamento cirúrgico, se necessário. Além disso, deve-se interromper o uso do inibidor de SGLT2, e monitorar de perto a glicemia, fornecendo uma terapia alternativa apropriada para o controle glicêmico.

Leia mais: Inibidores SGLT2 e risco cirúrgico: o que fazer?

Nos últimos cinco anos, a agência responsável pelo alerta identificou 12 casos (sete homens e cinco mulheres) de gangrena de Fournier em pacientes que tomam inibidor de SGLT2. Este número pode estar subestimado, já que inclui apenas os relatórios enviados à FDA e encontrados na literatura médica. Todos os 12 pacientes foram hospitalizados e necessitaram de cirurgia, ocorrendo inclusive um óbito. Em comparação, apenas seis casos de gangrena de Fournier (todos em homens) foram identificados na revisão de outras classes de medicamentos antidiabéticos durante um período de mais de 30 anos.

Sobre a fasciíte necrosante 

A fasciíte necrosante é uma infecção dos tecidos moles profundos que resulta na destruição progressiva da fáscia muscular e da gordura subcutânea suprajacente. As bactérias geralmente entram no corpo através de uma porta de entrada na pele, espalhando-se rapidamente e destruindo o tecido infectado. O desenvolvimento da anestesia pode preceder o aparecimento de necrose da pele e fornecer pistas sobre a presença da doença. Inicialmente, o tecido sobrejacente pode parecer não afetado. Infelizmente, a fasciíte necrosante pode resultar em perda de membros e até morte. É importante que o diagnóstico seja feito de forma precisa para que haja tratamento rápido com antibióticos e cirurgia imediata, visando interromper esta infecção.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Dayanna de Oliveira Quintanilha

Médica no Hospital Naval Marcílio Dias ⦁ Residência em Clínica Médica na UFF ⦁ Graduação em Medicina pela UFF ⦁ Contato: dayquintan@hotmail.com

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.