Alvimopan mostra eficácia no tratamento da doença inflamatória intestinal

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minuto.

No congresso Advances in Inflammatory Bowel Diseases de 2017, pesquisadores apresentaram resultados de uma revisão mostrando que o Alvimopan, um antagonista dos receptores opioides mu, reduziu o íleo pós-operatório após cirurgia abdominal em pacientes com doença inflamatória intestinal (DII).

Para chegar nessa conclusão, pesquisadores analisaram dados em pacientes (média de idade: 40 anos) com DII de um hospital de Nova York. Todos foram submetidos à ressecção intestinal de janeiro de 2012 a fevereiro de 2017 e receberam alvimopan pré-operatório (n = 121) ou cuidados padrão (n = 126).

Colite ulcerativa foi relatada em 57% dos pacientes que receberam alvimopan e 58,7% dos controles, com taxas mais baixas de doença de Crohn em ambos os grupos (43% versus 38,1%, respectivamente).

Pacientes com DII que receberam alvimopan apresentaram uma recuperação gastrointestinal mais rápida em comparação com os que receberam cuidados padrão (hazard ratio [HR] = 2,11, IC de 95%: 1.63 a 2.73; p < 0,001). Além disso, experimentaram também menor tempo para primeiro flato (HR = 2,02, IC de 95%: 1,54 a 2,64; p <0.001) e primeiro movimento intestinal (HR = 1,93, IC de 95%: 1,48 a 2,50; p < 0,001), em comparação com o grupo controle.

Pacientes do grupo alvimopan também foram mais capazes de tolerar uma dieta líquida (HR = 2,482, IC de 95%: 1,90 a 3,24; p < 0,001) e uma dieta sólida (HR = 1,999, IC de 95%: 1,54 a 2,59; p < 0,001).

Veja também nossa revisão: ‘SII, como reconhecer e tratar?’

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar