Enfermagem

Amamentação e câncer de mama [Outubro Rosa]

Tempo de leitura: 3 min.

O câncer de mama é o tipo de câncer mais comum entre mulheres do mundo inteiro. A doença, bem como o seu tratamento, podem provocar impactos negativos de diversas maneiras para o processo de amamentação, trazendo sobretudo morbidades para a saúde da mãe e bebê. 

Saiba mais: Educação continuada para agentes comunitários de saúde (ACS): educação entre pares no Outubro Rosa

Impactos negativos do câncer de mama na amamentação

  • Medicamentos: Medicamentos usados para tratar o câncer de mama podem ser incompatíveis com o período de lactação ou produzirem efeitos de redução na produção de leite, dessa forma, a amamentação deve ser interrompida durante o uso da medicação incompatíveis ou caso seja compatível, complementada com leite artificial;
  • Cirurgia mamária: Procedimentos cirúrgicos podem comprometer a capacidade lactacional de maneira irreversível da mama. Em casos de mastectomia total, em torno de 95% ou mais do parênquima da mama é removido, podendo incluir até o complexo aréolo mamilar. Mesmo que permaneça algum tecido mamário residual, a mama será incapaz de produzir leite em uma quantidade adequada para as demandas do bebê.
  • Radioterapia: essa modalidade de tratamento promove um processo de fibrose patológica, fazendo com que os ductos lactíferos se proliferam durante o período gestacional. Também podem provocar alteração na característica de elasticidade do complexo aréolo mamilar dificultando a pega do bebê e alterações no sabor do leite aumentando o risco de recusa do bebê.
  • Quimioterapia: provoca impactos na capacidade de produção láctea durante o tratamento. 

Em mulheres que apresentaram câncer de mama antes do período gestacional e lactação e obtiveram a cura, é importante enfatizar que não está contraindicado a amamentação. Entretanto, caso haja baixa produção de leite, não é recomendado o uso de galactagogos ou medicações que aumentam os níveis de prolactina, por estarem associados ao maior risco de tumorigênese. O acompanhamento com equipe multiprofissional deve ser realizado e estratégias para aumento da produção de leite com bomba extratora podem ser benéficas em alguns casos. 

Em mulheres que apresentam câncer de mama durante a fase de lactação, não há, até o momento, evidências científicas que comprovem riscos para o bebê da ingestão de leite materno diretamente da mama adoecida. Entretanto, durante o tratamento com quimioterapia, o aleitamento materno deve ser suspenso pois há risco de neutropenia infantil. A amamentação pode ser retomada após o período de metabolização da droga no organismo, se a mulher desejar. Entretanto, é importante lembrar que a quimioterapia provoca redução na capacidade de produção de leite de ambas as mamas, sendo necessário a complementação com leite artificial.    

Caso a decisão seja pelo desmame, não é recomendado que ele seja de forma abrupta, pois há risco de crescimento tumoral. O desmame deve ser feito gradualmente, utilizando medicações como a cabergolina.

Leia também: A história por trás do Outubro Rosa

Rastreamento

O rastreamento de rotina para câncer de mama em mulheres que estão amamentando, não está contraindicado, uma vez que os exames radiológicos usados para rastreio como mamografia, ultrassonografia de mama e ressonância magnética de mama com contraste são compatíveis com o processo de lactação. Entretanto, essa deve ser uma conduta individualizada, pautada nos riscos pessoas do desenvolvimento de câncer de mama de cada mulher.  

Durante a fase de lactação, as mamas apresentam características específicas desse período que podem interferir na aparência das imagens como hipervascularização, ductos lactíferos dilatados devido a presença de leite, maior densidade do parênquima mamário. Dessa forma o ideal esvaziar a mama antes do exame para reduzir a quantidade de leite, melhorando a sensibilidade do exame. Caso contrário, as chances de resultados falso positivos são maiores. 

No aplicativo Nursebook você encontra conteúdos completos sobre câncer de mama e amamentação, e como deve ser realizada a assistência de enfermagem nesses casos. 

Autor:

Referências bibliográficas: 

  • Mitchell KB, Fleming MM, Anderson PO, et al. ABM Clinical Protocol #30: Radiology and Nuclear Medicine Studies in Lactating Women. Breastfeed Med., 2019.
  • Shah NM, Scott DM, Kandagatla P, et al. Young Women with Breast Cancer: Fertility Preservation Options and Management of Pregnancy-Associated Breast Cancer. Ann. Surg. Oncol., 2019.
  • Basree MM, Shinde N, Koivisto C, et al. Abrupt Involution Nduces Inflammation, Estrogenic Signaling, and Hyperplasia Linking Lack of Breastfeeding with Increased Risk of Breast Cancer. Breast Cancer Res., 2019.
  • Callihan EB, Gao D, Jindal S, et al. Postpartum Diagnosis Demonstrates a high Risk for Metastasis and Merits an Ex-Panded Definition of Pregnancy-Associated Breast Cancer. Breast Cancer Res. Treat., 2013.
Compartilhar
Publicado por
Nathalia Schuengue

Posts recentes

Deltacron: uma nova variante do coronavírus ou erro de laboratório? 

Uma paciente foi diagnosticada com a possível nova variante do coronavírus, a deltacron. Ela é…

30 minutos atrás

Check-up Semanal: updates sobre a Covid-19, corticoide na influenza, intubação orotraqueal e mais!

No check-up semanal de hoje, confira: updates sobre a Covid-19, corticoide na influenza, intubação orotraqueal…

14 horas atrás

CDC atualiza recomendações sobre isolamento e quarentena na Covid-19. O que dizem os estudos?

O CDC atualizou suas recomendações sobre o isolamento e quarentena na Covid-19, o que vem…

19 horas atrás

Contestando mitos: Cuidados paliativos podem aumentar a sobrevida

Os cuidados paliativos consistem numa abordagem que objetiva aliviar o sofrimento de portadores de doenças…

19 horas atrás

A cirurgia bariátrica diminui o risco de câncer?

Estudo avaliou se submetidos à cirurgia bariátrica possuem uma diminuição da incidência de câncer comparada…

20 horas atrás

Oseltamivir: o que você precisa saber para a prática clínica

O surto de Influenza vivenciado em todo o país durante o começo do ano de…

20 horas atrás