Página Principal > Colunistas > Andexanet: opção para controle de sangramento pelos novos anticoagulantes orais?
trombocitopenia

Andexanet: opção para controle de sangramento pelos novos anticoagulantes orais?

Tempo de leitura: 2 minutos.

Uma das grandes dificuldades para o uso dos novos anticoagulantes orais é a falta de opção de reversão em casos de sangramento. Recentemente, publicamos em nosso portal um artigo que falava do uso de complexo protrombínico ou ácido trenexâmico nesse contexto e concluímos que nenhuma das duas opções tiveram resultados favoráveis, segundo o estudo.

Na Sessão Científica Anual do ACC ( American College of Cardiology), realizada em Orlando em março deste ano,  foi divulgada uma análise interina de um estudo sobre o efeito do agente reversor experimental Andexanet no controle de sangramento por inibidores do fator Xa (apixabana, rivaroxabana, edoxabana ou enoxaparina).

Os pesquisadores avaliaram a eficácia deste primeiro medicamento da classe em termos de dois desfechos co-primários: redução na atividade do inibidor do anti-fator Xa e obtenção de hemostasia clínica dentro de 12 horas após a administração. Os dados intermediários sobre os resultados de segurança para 227 pacientes e resultados de eficácia  para 132 pacientes inscritos em centros nos EUA, Canadá e Europa foram apresentados. Todos os pacientes do estudo apresentaram sangramento agudo maior dentro de 18 horas após tomar um dos quatro inibidores do fator Xa. Eles receberam uma injeção de andexanet seguida por uma infusão de duas horas do fármaco, com a dose determinada com base no inibidor específico do Fator Xa que o paciente estava tomando e o tempo desde a última dose.

Novos anticoagulantes orais (NOACS): comparativo das drogas disponíveis no Brasil

Houve uma redução mediana na atividade do inibidor do anti-fator Xa de 88% para os pacientes que tomaram rivaroxabana, 91% para os pacientes que tomaram apixaban e 75% para os pacientes que tomaram enoxaparina. Poucos pacientes no estudo receberam edoxaban. Excelente ou boa hemostasia clínica foi alcançada em 83% dos pacientes. A segurança do andexanet foi avaliada em todos os 227 pacientes. Aos 30 dias, 12 por cento dos pacientes morreram e 11 por cento tiveram um evento trombótico.

Se aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) dos EUA, andexanet seria o primeiro agente a reverter diretamente os efeitos do sangramento associado aos inibidores do fator Xa. O fato de ainda não existir um agente reversor confiável faz com que muitos médicos optem por não utilizar os inibidores de fator Xa. Mas pelo andamento das pesquisas, parece que em breve teremos uma boa opção de reversão para esta classe de drogas. Aguardamos os novos resultados do estudo.

Observação:

Análise interina: Análises comparando grupos de intervenções antes de o estudo estar formalmente completado, geralmente antes de concluir o recrutamento. Freqüentemente usado com regras de interrupção; assim, um estudo pode ser interrompido se participantes forem expostos a risco desnecessário. O tempo e a freqüência das análises interinas devem ser especificados no protocolo original do estudo.

Autor: 

Referência:

http://www.acc.org/latest-in-cardiology/articles/2018/03/07/15/53/mon-1045am-annexa-4-andexanet-for-reversal-of-anticoagulation-in-factor-xa-acc-2018)

É médico e também quer ser colunista da PEBMED? Clique aqui e inscreva-se!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.