Anestesia em paciente com deficiência (PCD): como abordar?

Acesse já o Whitebook Clinical Decision e confira a conduta completa de anestesia em pacientes com deficiência.

A anestesia em pacientes com deficiência (PCD), seja por distúrbio de cognição ou deficiências físicas como cegueira ou surdez, é um desafio muito grande para o profissional anestesista. O manejo desses pacientes tem características especiais e deve ser realizado com conforto, tanto para o paciente como para a equipe. Muitos pacientes nessa situação encontram-se agitados e pouco colaborativos. Para acessar a conduta completa, busque pelo Whitebook.

Assim como todas os pacientes em geral, os pacientes com síndrome cognitiva podem necessitar de alguma intervenção cirúrgica durante a vida. Esses pacientes apresentam, ainda, grande necessidade da realização de procedimentos odontológicos frequentes, tornando-se comum na rotina na vida do profissional anestesista especializado no nicho.

Esses pacientes podem se comportar como crianças pequenas, porém com força e tamanho de um adulto. É muito importante que o profissional proporcione a melhor experiência possível ao paciente, pois este provavelmente será submetido a vários procedimentos durante a vida.

Técnica para anestesia em PCD

Todo o procedimento anestésico realizado nessa classe de pacientes deve ser sob anestesia geral e em ambiente hospitalar. Confira algumas técnicas para a realização do pré-anestésico em PCD:

  • O paciente obrigatoriamente precisa estar acompanhado de um responsável legal durante toda a internação;
  • Avaliar as condições clínicas de todos os órgãos e tecidos, a fim de identificar possíveis patologias concomitantes;
  • Solicitar exames de avaliação cardíaca ou de qualquer outro especialista, caso necessário;
  • Solicitar risco cirúrgico;
  • Atentar para tempo de jejum. Esse é um fator muito importante, uma vez que esses pacientes não possuem entendimento e podem se alimentar equivocadamente. Vigilância constante;
  • Identificar todas as medicações usadas e avaliar quanto a sua suspensão;
  • Avaliar o custo versus benefício da realização de um pré-anestésico. Como esses pacientes costumam utilizar vários agentes psicotrópicos, acabam tendo grande resistência aos efeitos de ansiolíticos, podendo às vezes causar agitação;
  • Como opção, pode-se realizar Cetamina IM nos pacientes não colaborativos.

Acesse o Whitebook e saiba mais!

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe o Whitebook Tenha o melhor suporte
na sua tomada de decisão.

Especialidades