Antibioticoprofilaxia para endocardite: mudanças nas recomendações - PEBMED

Antibioticoprofilaxia para endocardite: mudanças nas recomendações

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Um documento da American Heart Association revisitou questões que envolvem casos de endocardite por estreptococo viridans. No documento, os autores não mais recomendam a utilização de clindamicina para a profilaxia para pacientes com risco de endocardite, que se submeterão a procedimentos que envolvam bacteremia, a justificativa se baseia em um estudo britânico que relata que a dose única de clindamicina traz diversas complicações, incluindo morte.

Saiba mais: Betalactâmicos orais em pacientes com ITU e bacteremia são seguros?

Os casos fatais seriam causados por infecções por Clostridioides difficile, estima-se que cerca de 15% das infecções comunitárias por esse patógeno seriam atribuídas a prescrições de antibióticos para procedimentos dentários.

Sendo assim o uso de clindamicina para profilaxia de endocardite não é mais recomendado.

Mudanças nas recomendações de antibioticoprofilaxia para endocardite

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

O documento

Ele ainda cita que anafilaxia fatal com dose única de cefalosporinas é evento raro, além de eventos fatais com uma dose única de macrolídeos serem extremamente raros. A azitromicina deve ser utilizada com cautela em doentes com intervalo QT prolongado (Qtc >450ms).

Leia também: Quais as complicações neurológicas da endocardite infecciosa?

Por último, o documento relata que a maioria das alergias referidas por penicilina são derivadas de testes cutâneos, e que não necessariamente refletem reações sistêmicas. Uma história detalhada deve ser colhida. Na impossibilidade do uso de penicilina, cefalosporina ou macrolídeo a doxiciclina é uma boa opção.

Autor:

Referência bibliográfica:

  • Wilson WR, Gewitz M, Lockhart PB, et al. Prevention of Viridans Group Streptococcal Infective Endocarditis: A Scientific Statement From the American Heart Association. Circulation 2021; 143:e963. 

 

 

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar