Home / Colunistas / Anvisa aprova novo antibiótico contra as superbactérias
superbacterias

Anvisa aprova novo antibiótico contra as superbactérias

Colunistas, Infectologia
Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Tempo de leitura: 2 minutos.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o registro de mais um antibiótico contra superbactérias para comercialização no mercado nacional. No Brasil, o Torgena (ceftazidima + avibactam) será indicado para tratamento em adultos nas seguintes situações:

O grande diferencial do Torgena é o fato de ser indicado para bactérias críticas para saúde, como Klebsiella pneumoniae produtora de carbapenemase (KPC), Pseudomonas aeruginosa e as Enterobactérias produtoras de ESBL (β-lactamases de espectro estendido).

A aprovação desta combinação de antibiótico para tratar adultos com pneumonia bacteriana adquirida no hospital e pneumonia bacteriana associada ao ventilador foi recente na FDA. Porém, a medicação já era aprovada em território americano para tratamento de infeção do trato urinário e infecção abdominal complicada desde 2015.

Sobre a combinação ceftazidima + avibactam

As infecções bacterianas para as quais o Torgena está indicado são condições graves, com potencial risco de morte, que causam morbidade significativa e que precisam de terapia antibiótica sistêmica e hospitalização. Tendo em vista a crescente resistência bacteriana aos antibióticos, o desenvolvimento de um novo agente terapêutico capaz de demonstrar eficácia e segurança em infecções graves é essencial.

O primeiro componente do Torgena é a ceftazidima, uma cefalosporina de terceira geração com grande vantagem sobre os antibióticos comuns, pois possui ampla cobertura sobre as beta-lactamase de espectro estendido (ESBL). O segundo componente, o avibactam, é um novo inibidor da beta-lactamase que adiciona um fator de proteção à ceftazidima. O avibactam inativa as beta-lactamases que acabariam por levar à degradação da ceftazidima, o que confere à ceftazidima um perfil de cobertura ESBL mais amplo.

O medicamento será fabricado em forma farmacêutica de pó (solução para infusão), na concentração de 2,5g (2.000mg de ceftazidima + 500mg de avibactam). A detentora do registro no Brasil é a Wyeth Indústria Farmacêutica Ltda.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autora:

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.