Covid-19

Anvisa suspende importação e uso da proxalutamida em pesquisas clínicas

Tempo de leitura: 2 min.

Nesta quinta-feira (2), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou a suspensão, de forma cautelar, da autorização de importação e o uso em estudos da substância proxalutamida no Brasil. 

Saiba mais: Ministério da Saúde confirma ineficácia do “kit covid” no tratamento contra Covid-19

A decisão

Segundo a Anvisa, essa medida teve como motivação a publicação de notícias sobre pesquisas sobre a atuação da proxalutamida em seres humanos. Além disso, houve a abertura de um inquérito civil público pelo Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul. O processo tem o objetivo de apurar a suspeita de uso irregular do medicamento proxalutamida em testes para o tratamento da Covid-19 no Hospital da Brigada Militar, em Porto Alegre. 

Ações da Anvisa

A agência também anunciou uma série de ações para coibir o uso irregular da proxalutamida e investigar as ocorrências. Dentre as medidas, estão: 

  • Um dossiê para mais informações sobre os produtos com a substância proxalutamida importados com o objetivo de instaurar medidas sanitárias e evitar riscos aos usuários dos produtos.
  • Convocação dos envolvidos nas pesquisas científicas da proxalutamida sem autorização da Anvisa para ajudarem na investigação e elucidação dos fatos.
  • Abertura de um processo administrativo para apurar possíveis infrações sanitárias do importador nos documentos apresentados. Há suspeita de que a agência tenha sido induzida a autorizar a importação para o uso da proxalutamida em humanos.

De acordo com a agência, ainda serão solicitados dados de todas as pesquisas aprovadas com o uso da substância proxalutamida no Brasil à Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP), além da lista de instituições com autorização para fazer tais estudos.

Leia também: Ministério da Saúde anuncia aplicação em idosos com mais de 70 anos e imunossuprimidos 

Proxalutamida para Covid-19

O órgão regulador ainda diz que as medidas antes destacadas contra a importação da proxalutamida não afetam estudos aprovados por eles. 

Em julho, a Anvisa havia autorizado o estudo de fase 3, randomizado, duplo-cego e controlado por placebo. O objetivo era mensurar a eficácia da substância no tratamento contra Covid-19. 

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências bibliográficas: 

Compartilhar
Publicado por
Luciano Lucas

Posts recentes

Mais de 20 conteúdos novos no Whitebook

Acesse o blog e confira quais são os mais de 20 conteúdos novos do Whtebook,…

2 horas atrás

Anemia megaloblástica na gestação – Parte 1

A anemia por deficiência de ácido fólico é um tipo de anemia megaloblástica e a…

3 horas atrás

Síndrome de abstinência neonatal e iatrogênica em neonatologia – diferenças e semelhanças

Revisão detalhada e original sobre a síndrome de abstinência neonatal a opioides causada pela exposição…

4 horas atrás

Quando a apneia do sono não precisa ser tratada

Na medicina moderna o sobre diagnóstico é uma situação muito comum. Ele pode ser definido…

4 horas atrás

Por que o LGG na diarreia aguda? [Vídeo]

A diarreia aguda tem uma duração inferior a duas semanas e que em uma maioria…

5 horas atrás

Infecções periprotéticas: diferenças entre as culturas do líquido articular e as intraoperatórias

Um estudo teve como objetivo avaliar o desempenho diagnóstico da cultura do líquido sinovial para…

6 horas atrás