Leia mais:
Leia mais:
Aracnoidite espinhal: o que é?

Aracnoidite espinhal: o que é?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

A aracnoide é uma membrana transparente, avascular, que se situa entre a dura-máter, externamente, e a pia-máter, internamente. O espaço entre a aracnoide e a dura-máter é denominado espaço subdural (um espaço virtual), enquanto o espaço entre a aracnoide e a pia-máter (membrana que envolve a medula espinhal) é chamado de espaço subaracnoide, preenchido por líquido cefalorraquidiano (LCR). A ausência de vascularização e o fluxo constante de LCR dificultam o processo de cicatrização desta membrana.

Leia também: Whitebook: vamos falar de hemorragia subaracnóide (HSA)?

A aracnoidite espinhal é uma doença caracterizada por processo inflamatório intenso e formação de cicatrizes na membrana aracnoide da medula espinhal, levando a aderência das raízes nervosas a si mesmas ou ao saco dural, com desenvolvimento de déficits neurológicos importantes e dores incapacitantes. 

Aracnoidite espinhal: o que é?

As principais causas são: 

  • infecções: sífilis, meningite, tuberculose;
  • cirurgias de coluna;
  • traumas;
  • hemorragias intra-tecais;
  • substâncias injetadas no espaço subaracnóideo — como meios de contraste (o risco é consideravelmente reduzido com meios de contraste hidrossolúveis e não-iônicos), agentes anestésicos e corticoides.

O processo inflamatório que ocorre na aracnoidite adesiva é dividido em 3 fases. Na primeira fase, as raízes nervosas apresentam-se edemaciadas e hiperemiadas, preenchendo por completo o espaço subaracnóideo. Ocorre proliferação de fibroblastos e deposição de fibrina recobrindo as raízes nervosas e as meninges, provocando aderência entre elas. Na fase seguinte as raízes retomam seu tamanho normal, mas a proliferação fibroblástica perpetua-se, agora com deposição de colágeno, aumentando a aderência. A última fase traduz-se por uma grave atrofia nervosa e preponderância de tecido colágeno cicatricial, que envolve as raízes e as torna aderentes à parede do saco dural. Em alguns casos, a reação inflamatória é tão exuberante que o tecido cicatricial ocupa por completo o espaço subaracnóideo.

Diagnóstico da aracnoidite espinhal

O diagnóstico é considerado na presença de sintomas neurológicos como paresia, parestesia, dor, disfunção vesical e intestinal, cefaleia, diplopia, associado a exame de imagem. O diagnóstico radiológico é feito por tomografia computadorizada com contraste intravenoso ou ressonância nuclear magnética (o uso de imagens axiais ponderadas por T1 é o método mais eficiente). Os diagnósticos diferenciais frequentemente associados são tumores da medula espinhal, síndrome da cauda equina, aracnoidite ossificante e siringomielia.

Saiba mais: Dia Mundial da Tuberculose: tuberculose no SNC

Infelizmente, não há cura para a aracnoidite espinhal, tornando o tratamento difícil tanto para o médico quanto para o paciente. O alívio completo da dor e dos sintomas neurológicos permanecem impossíveis na maioria dos casos. Os métodos de tratamento incluem o controle da dor com analgésicos, anti-inflamatórios, opioides, estimulação direta da medula espinhal através de dispositivo com dois eletrodos colocados por via subcutânea, e em casos graves, a remoção cirúrgica do tecido cicatricial. A intervenção cirúrgica é considerada o último recurso especialmente porque a prevenção de novas cicatrizes é imprescindível para esses pacientes em estágio mais avançado, geralmente com a cicatriz retornando após um curto período de tempo.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Wright MH, Denney LC. A comprehensive review of spinal arachnoiditis. Orthop Nurs. 2003 May-Jun;22(3):215-9; quiz 220-1. doi: 10.1097/00006416-200305000-00010
  • Ribeiro C, Reis FC. Aracnoidite adesiva lombar [Adhesive lumbar arachnoiditis]. Acta Med Port. 1998 Jan;11(1):59-65. Portuguese. PMID: 9542180
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar