Página Principal > Saúde Pública > As dez principais causas de morte no mundo

As dez principais causas de morte no mundo

Tempo de leitura: 3 minutos.

À medida que a população mundial aumenta, a expectativa de vida acompanha esse aumento e os padrões de vida melhoram, mudando as principais causas de morte no planeta.

Publicado originalmente em 2017 e atualizado recentemente, o relatório produzido pela OMS (Organização Mundial de Saúde), em parceria com a OPAS (Organização Pan Americana de Saúde), apresenta uma visão global das 10 principais causas de mortes no mundo.

Gráfico baseado no quadro com as principais causas de morte que estão aqui relacionadas. 

Em 2017, cerca de 56 milhões de pessoas morreram – quase metade delas tinha 70 anos ou mais; 27% com idade entre 50 e 69 anos; 14% com idades entre 15 e 49 anos; apenas 1% com idades entre 5 e 14 anos; e cerca de 10% eram crianças com menos de cinco anos.

As principais causadoras de mortes mundiais em 2017 foram as doenças cardiovasculares (DCV). Elas são uma série de doenças que afeta o coração e os vasos sanguíneos, que inclui hipertensão, doença cardíaca coronária, acidente vascular cerebral, insuficiência cardíaca e outras doenças cardíacas. As doenças cardiovasculares foram responsáveis ​​por cerca de um terço de todas as mortes.

Os cânceres foram os segundos maiores, com 17%, ou a cada seis mortes, globalmente. Coletivamente, as doenças não transmissíveis (DNTs) juntas representaram mais de 41 milhões de mortes (mais de 73%) em 2017.

Há uma série de causas com altos índices de mortalidade que, se não é totalmente evitável, pode ser (e foi em muitos países) drasticamente reduzida. 

Aproximadamente 1,8 milhão de recém-nascidos morreram devido a complicações no nascimento. As baixas taxas de mortalidade neonatal nos países de alta renda e o progresso significativo em todo o mundo nas últimas décadas são prova do fato de que é possível reduzir significativamente essas tragédias. 

Da mesma forma, as doenças diarreicas, que atingiram 1,6 milhão de pessoas em 2017 também são evitáveis ​​e tratáveis através de higiene e saneamento.  Essas doenças são uma das principais causas de morte em crianças menores de cinco anos.

Saiba mais sobre o assunto:

A malária foi eliminada com sucesso em algumas regiões e deve ser possível com o tempo erradicar. No entanto, o estudo sobre Carga Global de Doença (GBD) do IHME estima que cerca de 620 mil pessoas ainda morreram de malária em 2017.

Acidentes rodoviários também estão incluídos entre as principais causas de morte, reivindicando 1,2 milhões em 2017.

Surpreendente para alguns é que o número de pessoas que morrem por suicídio é mais que o dobro do homicídio em nível global. De fato, o número de mortes por suicídio é maior do que o número de mortes por todas as formas de violência – incluindo homicídio, terrorismo, conflito e execuções – em todo o mundo e em muitos países do mundo. 

Na parte inferior da lista, é possível observar mortes por desastres naturais e ataques terroristas. Embora o risco relativo de tais eventos seja tipicamente baixo, deve-se ter cuidado ao usar estatísticas anuais neste caso. 

As taxas de mortalidade relacionadas a doenças e outros fatores de saúde tendem a mudar de forma relativamente lenta ao longo do tempo. O desastre natural e as mortes relacionadas ao terrorismo são diferentes: podem variar substancialmente de um ano para o outro. Isso pode tornar a comparação anual de mortes entre fatores relacionados à saúde e eventos voláteis mais desafiadores e avaliar o risco relativo desses eventos pode exigir uma visão geral de longo prazo dos anos de alta e baixa mortalidade. 

 *Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autora: 

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.