Ginecologia e Obstetrícia

Aspirina em dose baixa como prevenção primária de desfechos adversos em gestações gemelares

Tempo de leitura: 2 min.

Muito estudada nos últimos anos, a aspirina vem mostrando seu papel na prevenção da pré-eclâmpsia, principalmente nas pacientes com alteração do índice de pulsatilidade das artérias uterinas no ultrassom morfológico do primeiro trimestre. Já escrevemos sobre esse assunto aqui no portal, se quiser conferir aqui antes de dar continuidade no artigo, agregaria conhecimento para você.

Sendo a gestação gemelar um fator de risco para pré-eclâmpsia, devemos estar atentos a modos de prevenir este desfecho quando nos deparamos com essa paciente no pré-natal. Mas, afinal, devemos prescrever aspirina 100 mg/dia apenas para as pacientes com alterações no ultrassom morfológico de primeiro trimestre ou para todas as pacientes que apresentam fatores de risco para desenvolverem pré-eclâmpsia?

Aspirina e pré-eclâmpsia

Pesquisadores chineses desenvolveram um estudo observacional em dois hospitais de referência na China com o objetivo de responder uma parte dessa pergunta. Eles estudaram apenas um grupo de gestantes com um fator de risco para desenvolver a pré-eclâmpsia: as gestantes de gemelares.

Foram 932 gestantes de gemelares acompanhadas durante pré-natal, parto e puerpério. As pacientes iniciaram o uso de aspirina 100 mg/dia entre 12 e 16 semanas e mantiveram o uso até 35 semanas de gestação.

Resultados

Os resultados obtidos foram promissores: houve uma redução significativa de pré-eclâmpsia, diminuição de trabalho de parto prematuro e de bebês pequenos para a idade gestacional. Além disso, não houve aumento de casos de hemorragia puerperal, grande preocupação devido ao uso de um antiagregante plaquetário.

Sendo assim, o uso de aspirina 100 mg/dia iniciando entre 12 a 16 semanas e suspendendo com 35 semanas nas gestantes de gemelares diminuem os desfechos desfavoráveis nessas pacientes.

Leia mais: Cerclagem em gestações gemelares: indicação pelo exame físico

Autora:

Referência bibliográfica:

  • Ye Y, Wen L, Liu X. et al. Low-dose aspirin for primary prevention of adverse pregnancy outcomes in twin pregnancies: an observational cohort study based on propensity score matching. BMC Pregnancy Childbirth 21, 786 (2021). https://doi.org/10.1186/s12884-021-04217-2
Compartilhar
Publicado por
Letícia Suzano Lelis Bellusci

Posts recentes

APPRAISAL: como interpretar os resultados de um estudo clínico?

Nesse texto, trazemos um resumo dos aspectos fundamentais para a correta interpretação de um estudo/artigo…

21 horas atrás

Whitebook: como identificar a candidemia?

Esta semana, noticiamos mais um caso confirmado de Candida auris. Por isso, vamos abordar a…

1 dia atrás

Confira: Profilaxia de TVP atualizado

O Whitebook teve 97 conteúdos atualizados, entre eles Profilaxia de TVP. Saiba os detalhes da…

2 dias atrás

Interpretação da Troponina. Como avaliar o exame? [vídeo]

No episódio de hoje, confira o bate-papo entre especialistas sobre a indicação da troponina. Quando…

2 dias atrás

Medicina Baseada em Evidências: como avaliar um guideline?

Os guidelines são importantes instrumentos na prática médica e em outras profissões relacionadas aos cuidados…

2 dias atrás

Covid-19: OPAS/OMS alerta sobre o uso racional de testes de diagnóstico

A OPAS/OMS emitiu um alerta epidemiológico sobre o uso e priorização dos testes diagnósticos (antígeno…

2 dias atrás