Página Principal > Emergências > ATLS 10: conheça as novidades no diagnóstico do trauma abdominal
ATLS 10

ATLS 10: conheça as novidades no diagnóstico do trauma abdominal

Tempo de leitura: 3 minutos.

Seguindo nossa série de temas do Advanced Life Trauma Suport Décima edição (ATLS 10), vamos comentar agora as novidades da abordagem diagnóstica no paciente com trauma abdominal. Em casos de instabilidade hemodinâmica, a exclusão de hemorragia intra-abdominal é necessária e pode ser realizada com Focused Assessment with Sonography for Trauma (FAST) ou Lavado Peritoneal Diagnóstico (LPD). Esses estudos estão contraindicados quando o paciente tem indicação evidente de laparotomia.

Pacientes com os seguintes achados necessitam de avaliação aprofundada para identificar ou excluir lesão abdominal:

  • Alteração de nível de consciência
  • Alteração de sensibilidade
  • Lesão de estruturas adjacentes, como costelas inferiores, pelve e coluna lombar
  • Perda prolongada de contato com o paciente antecipada, como anestesia geral para lesões extra-abdominais ou estudos radiográficos prolongados
  • Sinal do cinto de segurança com suspeita de lesão intestinal

Quando há suspeita de lesão intra-abdominal, muitos estudos podem fornecer informações úteis. Segue uma tabela com as indicações, vantagens e desvantagens de usar LPD, FAST e CT na avaliação de trauma abdominal.

 

Comparação entre LPD, FAST e TC no trauma abdominal
LPD FAST TC
Vantagens > Realizado rapidamente

> Pode detectar lesão intestinal

> Não há necessidade de transporte

> Diagnóstico precoce

> Não invasivo

> Realizado rapidamente

> Pode ser repetido

> Não há necessidade de transporte

> Diagnóstico precoce

> Diagnóstico anatômico

> Não invasivo

> Pode ser repetido

> Visualiza estruturas retroperitoneais

> Visualiza os tecidos ósseos e moles

> Visualiza ar extraluminal

Desvantagens > Invasivo

> Risco de injúrias relacionados ao procedimento

> Requer descompressão gástrica e urinária para prevenção de complicações

> Não pode ser repetido

> Interfere na interpretação de TC ou FAST subsequente

> Baixa especificidade

> Pode não detectar as lesões do diafragma

> Dependente do operador

> Gás intestinal e enfisema subcutâneo podem distorcer imagens

> Pode não detectar lesões no diafragma, intestino e pâncreas

> Não avalia completamente estruturas retroperitoneais

> Não visualiza ar extraluminal

> Maior custo e maior tempo

> Exposição à radiação e contraste IV

> Pode falhar em detectar lesões do no diafragma

> Pode não detectar alguma lesão intestinal ou pancreática

> Requer transporte

Indicações > Instabilidade hemodinâmica em trauma abdominal fechado

> Trauma abdominal penetrante sem outras indicações para laparotomia imediata

> Instabilidade hemodinâmica em trauma abdominal fechado

> Trauma abdominal penetrante sem outras indicações para laparotomia imediata

> Hemodinâmica normal em trauma abdominal penetrante ou fechado

> Traumatismo de dorso / flanco penetrante sem outras indicações para laparotomia imediata

*Adaptado de ATLS 10

FAST no ATLS 10

Quando realizada por pessoas devidamente treinadas, o FAST é um estudo aceito, rápido e confiável para identificar fluídos intraperitoneais. Pode detectar, até mesmo, tamponamento pericárdico (uma das causas não hipovolêmicas de hipotensão).

O FAST inclui o exame de quatro regiões: o saco pericárdico, fossa hepatorrenal, fossa esplenorrenal e pélvis ou bolsa de Douglas. Após fazer uma varredura inicial, os médicos podem realizar repetições simples ou múltiplas para detectar hemoperitônio. Uma grande vantagem é que o exame pode ser feito à beira leito, ao mesmo tempo que outros procedimentos diagnósticos ou terapêuticos são executados.

Lavado Peritoneal Diagnóstico

O LPD é outro estudo rapidamente realizado pela equipe cirúrgica para identificar hemorragia. É importante lembrar que o exame requer descompressão urinária e gástrica para prevenção de complicações.

A técnica é mais útil em pacientes com alterações hemodinâmicas, com trauma contuso abdominal ou em pacientes com traumas penetrantes com múltiplas trajetórias tangenciais cavitárias ou aparentes. Finalmente, também é indicada em pacientes hemodinamicamente estáveis que requerem avaliação abdominal em ambientes onde FAST e tomografia computadorizada não estão disponíveis.

Leia mais: ATLS 10: veja novidades sobre trauma torácico na avaliação secundária

Em locais onde TC e/ou FAST estão disponíveis, LPD raramente é usado porque é invasivo e requer especialidade cirúrgica.

Contraindicações relativas ao LPD incluem:

  • Operações abdominais, obesidade mórbida, cirrose avançada e coagulopatia preexistente.

O LPD começa com a introdução de um cateter infraumbilical e aspiração, exceto em pacientes com faturas pélvicas, quanto é orientada abordagem supra-umbilical.

Condições que indicam laparotomia:

  • Aspiração de conteúdo gastrointestinal, fibras vegetais ou bile através da lavagem cateter;
  • Aspiração de 10 mL ou mais sangue em pacientes hemodinamicamente instáveis.

Caso não se aspire esse volume, são introduzidos 1000 mL de solução cristaloide isotônica aquecida.

  • Após a completa mistura da solução com o conteúdo abdominal, aspira-se novamente e o material é enviado para análise quantitativa pelo laboratório. Um resultado de mais de 100 mil hemácias, 500 leucócitos ou um Gram positivo para fibras alimentares ou bactérias indicam conduta cirúrgica. Uma lavagem negativa não exclui a necessidade.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Dayanna de Oliveira Quintanilha

Médica no Hospital Naval Marcílio Dias ⦁ Residência em Clínica Médica na UFF ⦁ Graduação em Medicina pela UFF ⦁ Contato: dayquintan@hotmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.