Atualização sobre anemia ferropriva: fatores de risco, diagnóstico e tratamento

A Sociedade Brasileira de Pediatria divulgou uma atualização do “Consenso sobre anemia ferropriva: mais que uma doença, uma urgência médica”.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Em 26 de agosto de 2021, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou uma atualização do documento “Consenso sobre anemia ferropriva: mais que uma doença, uma urgência médica”, publicado em 2018. A modificação foi feita pelos Departamentos de Nutrologia e de Hematologia da SBP em conjunto com o Departamento de Nutrição Infantil da Sociedade de Pediatria de São Paulo e o Centro de Excelência em Nutrição e Dificuldades Alimentares (CENDA) Instituto PENSI (Fundação José Luiz Egydio Setúbal). Abaixo, encontram-se resumidas as novas recomendações segundo a publicação. A anemia ferropriva é uma condição grave, que prejudica o adequado desenvolvimento neurológico da criança e é um considerável problema de saúde pública em nosso país. 

Leia também: Quais os fatores de risco para anemia ferropriva após cirurgia bariátrica?

O primeiro passo é identificar os fatores de risco para anemia ferropriva: 

Atualização sobre anemia ferropriva: fatores de risco, diagnóstico e tratamento

Identificação de fatores de risco

Fatores de risco Situações
Baixa reserva materna
  • Gestações múltiplas com pouco intervalo entre elas 
  • Dieta materna deficiente em ferro 
  • Perdas sanguíneas 
  • Não suplementação de ferro na gestação e na lactação
Aumento da demanda metabólica
  • Prematuridade e baixo peso ao nascer (< 2.500g)
  • Lactentes em crescimento rápido (velocidade de crescimento > p90)
  • Meninas com grandes perdas menstruais
  • Atletas de competição
Redução do fornecimento
  • Clampeamento do cordão umbilical antes de um minuto de vida
  • Aleitamento materno exclusivo prolongado (superior a seis meses)
  • Alimentação complementar com alimentos pobres em ferro ou de baixa biodisponibilidade
  • Consumo de leite de vaca antes de um ano de vida
  • Consumo de fórmula infantil com baixo teor de ferro ou em quantidade insuficiente
  • Dietas vegetarianas sem orientação de médico/nutricionista
  • Ausência ou baixa adesão à suplementação profilática com ferro medicamentoso, quando recomendada
Perdas de sangue
  • Traumática ou cirúrgica
  • Hemorragia gastrintestinal – doença inflamatória intestinal; polipose colônica; anti-inflamatórios não esteroides; infecção por Helicobacter pylori; verminoses (como esquistossomose, estrongiloidíase, necatoríase, ancilostomíase); enteropatias/colites alérgicas
  • Hemorragia ginecológica – menorragia, dispositivos intrauterinos
  • Hemorragia urológica – esquistossomose, glomerulonefrite, trauma renal
  • Hemorragia pulmonar – tuberculose, mal formação pulmonar, hemossiderose pulmonar idiopática, síndrome de Goodpasture
  • Discrasias sanguíneas
  • Malária
Má absorção de ferro
  • Síndromes de má-absorção – doença celíaca, doença inflamatória intestinal
  • Gastrite atrófica, cirurgia gástrica – bariátrica, ressecção gástrica
  • Redução da acidez gástrica – antiácidos, bloqueadores H2, inibidores de bomba de prótons
Fonte: Adaptado de Sociedade Brasileira de Pediatria (2021)

Diagnóstico

O documento recomenda a realização de investigação laboratorial da deficiência de ferro, com ou sem anemia, aos 12 meses de vida. Entretanto, se houver suspeita baseada na presença de fatores de risco, a investigação deve ser pronta e precocemente efetuada, principalmente na ausência de profilaxia adequada com ferro. Levando em conta os custos dos exames laboratoriais e a necessidade de uma padronização para a determinação da fase inicial da depleção ou da deficiência de ferro sem anemia, em que a concentração de Hb é normal, a atualização indica a realização dos seguintes exames, no mínimo: hemograma (para avaliação da hemoglobina, dos índices hematimétricos [VCM, HCM, RDW] e da morfologia dos glóbulos vermelhos);  ferritina sérica, como marcador da fase de depleção dos estoques; e proteína C reativa, com o objetivo de identificar o processo infeccioso.

Tratamento

Para o tratamento da anemia ferropriva, é recomendado o uso de ferro oral na dose de 3 a 6 mg de ferro elementar/kg/dia, em dose única ou fracionado, por um período de seis meses ou até reposição dos estoques corporais (confirmados pela normalização da Hb, VCM, HCM, ferro sérico, saturação da transferrina e ferritina sérica).

Saiba mais: Quiz: Anemia ferropriva

O documento destaca a existência de variados compostos de ferro disponíveis comercialmente e também no Sistema Único de Saúde (SUS) e ressalta que, para prescrevê-los, o pediatra deve considerar custos, acessibilidade, padrões de absorção de cada sal, grau de resposta em relação ao tempo de terapêutica e na menor ocorrência de eventos adversos. 

Para a avaliação da efetividade, devem ser solicitados hemograma e reticulócitos 30 a 45 dias depois do início do tratamento (momento em que se espera que tenha ocorrido aumento dos níveis de hemoglobina em, pelo menos, 1,0 g/dL, além de melhora dos valores de reticulócitos). 

Referências bibliográficas:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão