Mariana Batista Leite Leles

Psicóloga Hospitalar Intensivista ⦁ Especialista em Psico-oncologia ⦁ Residência Psicologia Hospitalar de Urgência e Trauma ⦁ Coordenadora Pós-graduação Humanização de Cuidados Intensivos (INCURSOS) ⦁ Docente Pós-graduação Projeto HUCI/CEISAL/Universidade de Alcalá - Espanha ⦁ Preceptora Residência Multidisciplinar HGG ⦁ Psicóloga hospitalar Hospital Alberto Rassi e Hospital do Coração de Goiás ⦁ Coordenadora Projeto Psicologia Hospitalar Acessível

Aspectos psicológicos do câncer no adulto jovem

lidar com as sequelas físicas deixadas pelo câncer ou pelo tratamento impõe à realidade diária do paciente a incerteza de cura total e chances de recidiva.

Como é o acompanhamento psicológico de candidatos a transplante?

O psicólogo atua como intermediário de todas as relações referentes ao transplante, de modo participativo nas orientações e informações ao paciente e à família.

O que é síndrome do hospitalismo no adulto?

Os sinais do hospitalismo no adulto podem ser identificados pelo isolamento, introspecção, apatia, indiferença ou pensamento pessimista em relação a si. Saiba mais:

UTI aberta no Brasil: uma realidade?

Desde a criação da Política Nacional de Humanização (2004), o formato da assistência em saúde mudou. Passou-se a buscar centrar o cuidado no doente.

Qual é o papel do psicólogo na visita social em UTI?

O psicólogo na atuação hospitalar e na visita social é a imagem e representação do humano, da capacidade genuína de empatia e compreensão de sentimentos.

Entenda o papel da equipe interprofissional e a psicologia hospitalar

No âmbito hospitalar, a falta de clareza quanto às atribuições de profissões emergentes, como a psicologia hospitalar, é um dos fatores que dificulta o trabalho em equipe. Entenda!

UTI neonatal dificulta o vínculo da criança com a família

A UTI neonatal exige mais aspectos voltados à humanização, pois é necessário criar espaço para o desenvolvimento do vínculo da criança com a família.

Setembro Amarelo: quais são as características do comportamento suicida?

Este mês é comemorada o Setembro Amarelo, data importante para despertar o debate sobre suicídio. Aprenda a seguir como identificar o comportamento suicida e como agir nesses casos.

Influência da Diabetes Mellitus nas doenças crônicas e agudas

É importante entender que a prevenção e educação sobre diabetes não é responsabilidade de um único profissional, e depende de integração de diversas áreas.

Delirium como parâmetro vital e implementação de medidas não-farmacológicas

O delirium é uma síndrome neuropsiquiátrica de etiologia multifatorial, constituindo-se a alteração cognitiva mais comum em pacientes internados em UTI.