Ronaldo Gismondi

Editor-chefe médico da PEBMED ⦁ Pós-doutorado em Medicina pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) ⦁ Coordenador da Cardiologia do Niterói D’Or ⦁ Professor da Universidade Federal Fluminense (UFF)

6 passos para comunicar notícias ruins ao paciente e seus familiares

A comunicação de uma notícia ruim é um evento estressante, tanto para o paciente como para o médico. Existem diretrizes para ajudar você nesse processo.

Risco CV no paciente diabético: manejo farmacológico (parte 2)

Para pacientes com DM e DAC estabelecida, a conduta é semelhante ao paciente com DAC e outras comorbidades. Por isso, nosso foco está na prevenção.

Risco CV no paciente diabético: dicas para o manejo clínico (parte 1)

Diabetes é uma doença cuja prevalência está crescendo, em especial em países em desenvolvimento. No Brasil, em 2010, estima-se que havia 6,3% de diabéticos.

Abordagem ao paciente adulto com adenomegalia cervical

Alunos de semiologia e parentes de pacientes com linfoma com frequência procuram residentes preocupados com a presença de nodulações na região cervical.

Você sabe reconhecer um paciente com febre amarela?

A febre amarela voltou a provocar um surto epidêmico no Brasil e, desta vez, em proporções maiores. Mas você sabe reconhecer um paciente com febre amarela?

Doença Coronariana em mulheres: como identificar as manifestações atípicas

A prevalência de doença arterial coronariana (DAC) em mulheres vem crescendo nas últimas décadas, sendo mais frequente após a menopausa.

As novas modalidades diagnósticas devem ser incorporadas na Semiologia?

Quantos amigos de vocês já foram a um pronto-socorro e saíram com diagnósticos e tratamentos sem que o médico tivesse encostado a mão neles?

Sabe quais são as complicações da toracocentese?

A toracocentese está indicada na investigação do derrame pleural. O conceito antigo indicava que todo derrame com mais de 1 cm na incidência em Laurell.

Doença tromboembólica no paciente oncológico: como tratar

A doença tromboembólica (TVP/TEP) ocorre em até 20% dos pacientes oncológicos, sendo importante causa de morbidade e mortalidade.

Cuidados pós-parada cardíaca: o que você não pode deixar de saber

Na edição de 2010, a American Heart Association decidiu incluir os cuidados pós-parada cardíaca (PCR) como uma das etapas do atendimento no ACLS.

Entrar | Cadastrar