AVC hemorrágico: dicas para o manejo clínico

Há vários tipos de AVC hemorrágico: hematoma extra-axial; hemorragia subaracnoide (aneurismática ou traumática); e a hemorragia intraparenquimatosa.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Há vários tipos de AVC hemorrágico: hematoma extra-axial (sub ou epidural); hemorragia subaracnoide (aneurismática ou traumática); e a hemorragia intraparenquimatosa (“hematoma intraparenquimatoso”), que pode ser espontânea ou secundária a alguma outra patologia (transformação hemorrágica de um AVC isquêmico, por exemplo). No caso dos intraparenquimatoso, além da decisão sobre se deve ser drenado ou não (que varia em cada caso e deve envolver o neurocirurgião), há diversos outros aspectos acerca do manejo clínico que merecem alguns lembretes.

500x120-assinatura

QUAL É O TAMANHO DESTE HEMATOMA?

O cálculo do volume de sangue pode ser feito de diversos modos, mas uma dica rápida é multiplicar os três diâmetros (no corte axial, os dois maiores; e no corte coronal, o diâmetro maior) e então dividir pela metade: A x B x C /2.

COMO PREVER A MORTALIDADE?

Uma escala simples que dá pontos a alguns parâmetros ajuda a estimar o risco de morte num AVC intraparenquimatoso.

Escala de Glasgow:

  • 3 a 4 = 02 pontos
  • 5 a 12 = 01 ponto
  • 13 a 15 = zero

Volume do hematoma:

  • 30ml ou mais = 01 ponto
  • < 30ml = zero

Idade:

  • 80 anos ou mais = 01 ponto
  • < 80 anos = zero

Origem infratentorial (= “fossa posterior”, isto é, cerebelo ou tronco encefálico):

  • Sim = 01 ponto
  • Não = zero

Hemoventrículo:

  • Sim = 01 ponto
  • Não = zero

A soma destes pontos vai indicar provável mortalidade em 30 dias:

  • 1 ponto – 13% chance de morte
  • 2 – 26
  • 3 – 72%
  • 4 – 97%
  • 5 – 100%

QUANTO ABAIXAR A PRESSÃO ARTERIAL?

Se mantivermos alta a PA, há o risco de aumentar o sangramento; se abaixarmos demais, há o risco teórico de provocar isquemia numa área que já está sofrendo. Diversos estudos vem tentando responder esta questão, mas ainda há controvérsias.

Por enquanto, sabe-se que a PA sistólica pode ser baixada para 140 mmHg; parecia ser seguro uma redução abaixo deste valor (estudo Ineract-2, de 2013), mas não demonstrou benefício clínico nesta conduta mais intensiva e esta dúvida se manteve num estudo mais recente (Atach-2, 2016).

QUAL TRANSFORMAÇÃO HEMORRÁGICA É PREOCUPANTE?

Após um AVC isquêmico, é necessário realizar uma segunda TC quando há piora neurológica ou então em 24h-48h como controle (independente de piora neurológica). Nestas situações, ocasionalmente surgem sinais de sangramento que não havia; alguns desses são menores (apenas infarto hemorrágico), enquanto outros já podem ser chamados de hemorragia intraparenquimatosa. Como eles podem ou não estar associados a sintomas e como há dúvida sobre quando é preciso suspender antiagregantes ou mesmo se devemos chamar o neurologista, há uma classificação que nos orienta:

  • HI1: Infarto hemorrágico tipo 1 – apenas petéquias nas margens da isquemia
  • HI2: Infarto hemorrágico tipo 2 – petéquias confluentes dentro da área de isquemia, sem efeito de massa
  • PH1: Hemorragia intraparenquimatosa tipo 1 – ocupa até 30% da area da isquemia, podendo haver algum efeito de massa
  • PH2: Hemorragia intraparenquimatosa tipo 2 – ocupa mais do que 30%, com efeito de massa importante.

Esta última classificação é a que demanda maiores esforços terapêuticos.

COMO TRATAR HEMORRAGIAS RELACIONADAS A ANTI-TROMBÓTICOS?

tabela

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

henriquecal

b

Referências Bibliográficas:

  • Silver, Stroke 2016. Review of the systolic blood pressure intervention trial for hypertension management. How low to go for patients with stroke? Stroke 2016.
  • INTERACT2, NEJM 2013. Investigators. Rapid blood-pressure lowering in patients with acute intracerebral hemorrhage. NEJM 2013.
  • Qureshi, NEJM 2016. Intensive Blood-Pressure Lowering in Patients with Acute Cerebral Hemorrhage. NEJM 2016.
  • Morgenstern, Stroke 2010. Guidelines for the management of spontaneous intracerebral hemorrhage: a guideline for healthcare professionals from the American Heart Association/American Stroke Association.
  • Hemphill, Stroke 2001. The ICH score: a simple, reliable grading scale for intracerebral hemorrhage.
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão

Especialidades