Página Principal > Colunistas > AVC: parece, mas não é
médico supervisionando paciente fazendo tomografia

AVC: parece, mas não é

Tempo de leitura: 2 minutos.

Todo médico já passou por isso: recebe um paciente com uma alteração neurológica súbita, transitória, cuja tomografia de crânio não esclarece muito e permanece a dúvida sobre o que aconteceu. Será que foi um ataque isquêmico transitório (AIT)? Será que foi uma crise convulsiva?

É nesta hora que vale uma boa anamnese para cogitar hipóteses de “mimics de AVC” – aqueles diagnósticos diferenciais que parecem, mas não são eventos neurovasculares. Os mais comuns em um serviço de emergência estão no quadro-resumo abaixo.

AIT

Enxaqueca

Crise convulsiva

Síncope

Não-orgânico

Demografia
  • Idoso
  • Fatores de risco cardiovascular
  • Mais comum em homens
  • Jovem
  • Mais comum em mulheres
  • Qualquer idade
  • Qualquer idade; geralmente mais jovem
  • Mais comum em mulheres
  • Jovem
  • Mais comum em mulheres
Quadro neurológico
  • Sintomas negativos
  • Sem “spreading” nem acomete outros sentidos
  • Sem RNC
  • Amaurose e diplopia transitória geralmente são AIT
  • Sintomas positivos (tipicamente visual)
  • Com “spreading”
  • Pode haver confusão mental discreta, mas sem RNC
  • Sintomas positivos (abalos, automatismos orofaciais), mas em seguida pode haver sintomas negativos (paralisia de Todd)
  • Pode haver perda da consciência e amnésia para o evento
  • Antes do RNC, pode haver “visão escurecida” e sensaçãoo de cabeça vazia
  • Perda sensitiva isolada (sem outros sintomas associados) é comum
Timing
  • Instalação abrupta, resolução em minutos (geralmente <1h)
  • Pode recorrer após dias ou semanas
  • Geralmente dura 20-30min ou mais
  • Pode recorrer anos depois
  • Geralmente <2min; lenta recuperaçãoo da consciência
  • Pode recorrer anos depois
  • Geralmente <1min; rápida recuperaçãoo da consciência
  • Pode recorrer anos depois
  • Pode ser recorrente e estereotipada
Sintomas associados
  • Pode haver cefaléia durante o episódio
  • Cefaléia com caractererísticas migranosas após o episódio
  • Pode haver mordedura de língua, incontinência esfincteriana, alguma confusão mental, dor muscular
  • Sudorese, palidez, náuseas
  • Estresse psicológico antecedendo

*Legenda: RNC = rebaixamento de nível de consciência

Alinhando alguns termos:

  • Amaurose: perda visual de origem neurológica
  • Sintomas positivos: abalos, hiperestesia dolorosa
  • Sintomas negativos: hipoestesia, fraqueza, perda visual
  • “Spreading”: sintoma iniciado em uma função neurológica, mas que em seguida se dissemina acometendo outra função (por exemplo, perda visual que evolui com parestesia).

Mais do autor: ‘Coma por intoxicação: Como suspeitar? Como proceder?’

Na anamnese, as testemunhas são de grande valor para a elucidação diagnóstica: deve-se sempre perguntar-lhes sobre detalhes do início do episódio e a familiares ou transeuntes.

Outro lembrete importante é que a hipótese de ser alguma etiologia não orgânica (ansiedade, sintomas funcionais) deve ser um diagnóstico de exclusão, sendo considerado após extensa investigação.

Veja abaixo algumas outras condições que frequentemente simulam um AIT:

  • Hipo ou hiperglicemias: podem fazer verdadeiros déficits neurológicos focais!
  • Tumores (meningioma) e MAV (malformação arterio-venosa): pode ser de instalação lenta/gradual (semanas) ou associado a hipertensão intracraniana
  • Surtos de Esclerose Múltipla: paroxismos de disartria ou espasmos podem ser 1º sintoma de abertura do quadro, geralmente em pacientes jovens e sem fatores de risco cardiovascular

É médico e também quer ser colunista da PEBMED? Clique aqui e inscreva-se!

Autor:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.