Caminhar pode reduzir o risco de demências, indica estudo

Estudo britânico de coorte prospectivo analisou o impacto de passos diários na redução da incidência de demências em idosos. Conheça!

Optar por dar um maior número de passos diariamente está relacionado a redução de risco de mortalidade cardiovascular e redução na incidência de diabetes. A atividade física, a partir da contagem de passos ao longo de um dia, tem sido uma abordagem popular para prover alvos em saúde para a população em geral.  

A JAMA Neurology publicou recentemente um artigo que se propõe a estudar a associação de dose-resposta entre contagem de passos diários e de sua intensidade com a incidência de causas de demência em uma grande amostra de adultos no Reino Unido que utilizaram acelerômetros em punho. 

Leia também: Efeitos do lecanemab na doença de Alzheimer precoce são positivos?

mão de paciente idosa com demência

Como foi o estudo? 

Ele tinha como objetivo examinar a associação de dose-resposta entre contagem de passos diários e de sua intensidade com a incidência de causas de demência entre adultos do Reino Unido. 

Métodos 

Estudo de coorte prospectivo baseado em população proveniente do UK Biobank. A população estudada foi avaliada através de dados do UK Biobank entre fevereiro 2013 e dezembro 2015. Foram obtidos 236.519 participantes elegíveis que proveram endereço telefônico válido.  

Ao todo, 103.684 participantes aceitaram o convite à pesquisa e instruídos a utilizar o acelerômetro Axivity AX3 no punho dominante 24 horas por dia e sete dias por semana para aferir a atividade física. O uso desse dispositivo possibilitou contagem de passos incidentais (< 40 passos por minuto), passos propositais (> 40 passos por minuto) e pico de cadência em 30 minutos. 

Um total de 78.430 participantes, entre 40 e 79 anos, com pelo menos três dias válidos (mais de 16 horas de uso), com dados completos de variáveis e que não apresentavam morbidades no baseline de doenças cardiovasculares, neoplasias e demência foram incluídos na análise. 

Tais participantes foram monitorados a partir de outubro de 2021 com avaliação de incidência de demência (fatal ou não) obtida através de registros de atenção básica, internação hospitalar ou certificações de óbito. A análise estatística para avaliar associações de dose resposta foi realizada através de regressão de Cox. 

Resultados 

Entre os 78.430 participantes analisados no estudo, a idade mediana foi entre 61,1 anos, sendo 44,7% homens e 55,3% mulheres. O tempo mediano de follow up foi em torno de 6,9 anos, sendo que 866 participantes desenvolveram demência, com idade em torno de 68,3 anos e 55,4% homens e 54,6% mulheres. 

Foi observado que indivíduos mais jovens, saudáveis (considerados como baixas taxas de consumo de álcool e tabaco e maior consumo de frutas/vegetais) apresentaram maior número de passos na amostra desse estudo. 

A análise revelou associações não-lineares de passos diários com o desfecho de incidência de demência. A dose considerada como “ótima” girou em torno de 9826 passos (HR 0.49, IC95% 0.39-0.62) enquanto a dose mínima ficou em torno de 3826 passos (HR 0.75, IC95% 0.67-0.83). 

Discussão

O resultado desse estudo apresenta implicações para saúde pública. Os achados dessa publicação sugerem que 9.800 passos diários são considerados como a “dose ótima” para reduzir o risco de demência. 

A dose mínima de passos diários apresentou resultado interessante para a prática clínica diária. A dose mínima de 3.800 passos diários apresentou associação com redução de 25% na incidência de demência. 

Um ponto positivo para esse estudo é o seu tamanho amostral.  Por outro lado, um dado limitante é que foi um estudo observacional com baixa taxa de resposta dos participantes do UK Biobank (em torno de 5,5%) o que poderia indicar uma baixa representatividade – embora estudos prévios já demonstraram que essa baixa taxa de resposta não necessariamente influencie em associações entre atividade física e desfechos em saúde. 

Mensagem prática 

A contagem de passos apresentou associação com redução na incidência de demência. É uma recomendação de fácil comunicação e interpretação para os pacientes na prática clínica.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe o Whitebook Tenha o melhor suporte
na sua tomada de decisão.
Referências bibliográficas: Ícone de seta para baixo
  • del Pozo Cruz, Borja, et al. "Association of daily step count and intensity with incident dementia in 78 430 adults living in the UK." JAMA neurology 79.10 (2022): 1059-1063. 

Tags