Blog do Whitebook

A importância da campanha Dezembro Vermelho

Tempo de leitura: 4 min.

Dezembro Vermelho é uma campanha nacional instituída pela lei nº 13.504/2017, que promove a prevenção, assistência, proteção e promoção dos direitos humanos das pessoas que vivem com HIV/AIDS e outras infecções sexualmente transmissíveis.

Em 1988, a OMS instituiu como data simbólica de conscientização para todos os povos sobre a pandemia de AIDS o dia 1º de dezembro. 

“Essa campanha é de total importância por ser uma oportunidade para apoiarmos as pessoas envolvidas na luta contra o HIV e, também, para atuarmos na melhora da compreensão dessa infecção como um problema de saúde pública global”, destaca a infectologista e conteudista do Whitebook, Dra. Raíssa Perlingeiro. 

Em dezembro de 2020, foi divulgado pelo Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis do Ministério da Saúde, que, atualmente, cerca de 920 mil pessoas vivem com HIV no Brasil. Dessas, 89% foram diagnosticadas, 77% fazem tratamento com antirretroviral e 94% das pessoas em tratamento não transmitem o HIV por via sexual por terem atingido carga viral indetectável (intransmissível).

No Brasil, em 2019, foram diagnosticados 41.919 novos casos de HIV e 37.308 casos de AIDS. A maior concentração de casos de AIDS está entre os jovens, de 25 a 39 anos, de ambos os sexos, com 492,8 mil registros. Os casos nessa faixa etária correspondem a 52,4% no sexo masculino e 48,4% entre as mulheres.

A melhor técnica para evitar o HIV/AIDS é a prevenção combinada:

  • Profilaxia pós-exposição (PEP): Uso de medicamentos antirretrovirais por pessoas após terem tido um possível contato com o vírus HIV;
  • Profilaxia pré-exposição (PrEP): Uso preventivo de medicamentos antes da exposição ao vírus do HIV, reduzindo a probabilidade da pessoa se infectar.

Medicações no Brasil

Desde 1996, o Brasil distribui gratuitamente pelo SUS todos os medicamentos ARV e, desde 2013, o SUS garante tratamento para todas as pessoas vivendo com HIV (PVHIV), independentemente da carga viral.

A evolução do tratamento antirretroviral possibilitou transformar uma doença fatal em uma condição crônica controlável.

Na última semana, a Anvisa aprovou a liberação do medicamento Dovato (lamivudina + dolutegravir) que pode ser usado como regime completo para tratamento do HIV em adultos e adolescentes maiores de 12 anos e pesando mais de 40 kg, sem histórico de tratamento prévio ou em substituição ao regime de tratamento atual em pessoas com supressão virológica.

Leia também: Aprovado novo tratamento para HIV no Brasil

A aprovação dessa medicação é um avanço, pois simplifica o esquema em um único comprimido diário, o que facilita o tratamento por melhorar a adesão.

Whitebook tem conteúdos sobre o tema para ajudar na tomada de decisão:

 Ouça o podcast do aplicativo médico número 1 do Brasil sobre exposição vertical ao HIV aqui!

 Coautora: Dra. Raíssa Perlingeiro, infectologista.

 Abraços,

 

Compartilhar
Publicado por
Clara Bittencourt

Posts recentes

APPRAISAL: como interpretar os resultados de um estudo clínico?

Nesse texto, trazemos um resumo dos aspectos fundamentais para a correta interpretação de um estudo/artigo…

20 horas atrás

Whitebook: como identificar a candidemia?

Esta semana, noticiamos mais um caso confirmado de Candida auris. Por isso, vamos abordar a…

1 dia atrás

Confira: Profilaxia de TVP atualizado

O Whitebook teve 97 conteúdos atualizados, entre eles Profilaxia de TVP. Saiba os detalhes da…

2 dias atrás

Interpretação da Troponina. Como avaliar o exame? [vídeo]

No episódio de hoje, confira o bate-papo entre especialistas sobre a indicação da troponina. Quando…

2 dias atrás

Medicina Baseada em Evidências: como avaliar um guideline?

Os guidelines são importantes instrumentos na prática médica e em outras profissões relacionadas aos cuidados…

2 dias atrás

Covid-19: OPAS/OMS alerta sobre o uso racional de testes de diagnóstico

A OPAS/OMS emitiu um alerta epidemiológico sobre o uso e priorização dos testes diagnósticos (antígeno…

2 dias atrás