Oncologia

Câncer colorretal: quais os principais aspectos dos tumores precoces?

Tempo de leitura: 3 min.

Os artigos de revisão são excelentes para nos situar em diferentes aspectos de uma patologia, principalmente quando envolvem diversos ramos da medicina. Recentemente foi proposto que o screening de câncer colorretal (CCR) fosse antecipado para 45 anos ao invés da recomendação clássica de 50 anos. Esta nova orientação se deve ao fato que os tumores colorretais têm aumentado sua incidência em pacientes com menos de 50 anos nas últimas 4 décadas. Ao se analisar a população de 20-29 anos este incremento chegou a 3,5%, enquanto na população menor que 50 anos o aumento foi de 1,8%. Também se questiona se o comportamento biológico dos tumores com apresentação precoce (antes dos 50 anos) é diferente daqueles com apresentação tardia (após 50 anos).

O artigo de revisão publicado na Jama Surgery analisa diferentes aspectos clínicos e patológicos desta população com apresentação precoce e compara com a população com maior prevalência.

Leia também: Qual a associação entre bebidas adoçadas com açúcar e câncer colorretal de início precoce?

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Aspectos Clínicos

A apresentação precoce dos tumores colorretais usualmente localiza em segmentos distais do cólon e reto e no diagnóstico já com doença em estágio III e IV em  54% e 61,8%, respectivamente. Um paciente jovem com CCR apresenta um risco relativo de 1,37% (p < 0,001; 95% IC) de doença avançada localmente e 1,58% (p < 0,001; 95% IC) para metástase à distância quando comparado aos pacientes mais velhos. Em parte isto pode ser explicado pelo fato de não ser feito de rotina busca ativa de tumores na população jovem e portanto o diagnóstico é feito na fase sintomática da doença. Acrescido a isto o fato de alguns sintomas não serem valorizados como sintomas de neoplasia na população mais jovem.

Aspectos Patológicos

Os CRC na população jovem geralmente apresentam uma menor diferenciação celular, com invasão neural, vascular e células produtoras de mucina, que são associados a um pior prognóstico. Todas essas alterações apresentaram correlação estatística com p < 0,001 ao comparar as duas populações. 

Aspectos Moleculares

A biologia molecular é um campo com grande avanço no estudo dos tumores colorretais e ultimamente faz parte o estudo de instabilidade microssatélite em todos os pacientes. Nos casos de apresentação precoce usualmente apresentam estabilidade microssatélite. Aqueles com instabilidade microssatélite e apresentação precoce, usualmente estão relacionados à síndrome de Lynch.

Exposição

A apresentação precoce CCR, usualmente está relacionada a uma predisposição genética, porém isto não explica o aumento da incidência, no entanto sugere que demais fatores podem ter uma influência no desenvolvimento. Fatores externos (fumo, dieta, álcool, infecções) e até mesmo inerente ao próprio pacientes (microbiota intestinal). Sabemos que a dieta ocidental rica em gorduras e pobre em fibra possui um risco aumentado para o desenvolvimento de CCR. Alguns estudos associam obesidade, uso de antibiótico a este risco aumentado.

Saiba mais: IM/ACP 2021: rastreio de câncer colorretal e efeitos do kiwi para constipação

Discussão

A apresentação precoce do CCR é desafiadora e necessita de um tratamento individualizado. Algumas alterações moleculares já foram determinadas, no entanto ainda não está totalmente elucidado todos os seus mecanismos. Uma abordagem ampla com manutenção da integridade intestinal e sexual é importante para a qualidade de vida do paciente e família.

Para levar para casa

Esta é uma realidade que observamos na prática clínica com pacientes jovens operados de urgência por obstrução neoplásica. Cada vez mais devemos ser liberais na busca ativa de tumores colorretais e a realização de colonoscopia antes mesmo dos 45 anos em caso de algum sinal de alarme. Associado a isto é fundamental uma busca ativa na família, especialmente quando se encontra alguma síndrome de ordem genética. 

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • REACCT Collaborative. Characteristics of Early-Onset vs Late-Onset Colorectal Cancer: A Review. JAMA Surg. Published online June 30, 2021. doi:10.1001/jamasurg.2021.2380
Compartilhar
Publicado por
Felipe Victer

Posts recentes

Dia nacional de conscientização sobre retinoblastoma: o que eu preciso saber sobre esse tumor?

Dia 18 de setembro é o Dia Nacional de Conscientização e Incentivo ao Diagnóstico Precoce…

2 minutos atrás

Whitebook: Dia Mundial da Sepse

Em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do Whitebook Clinical Decision vamos fazer a apresentação…

4 horas atrás

Origens e fundamentos da MBE – Parte 1: Relação entre o tratamento precoce com antibióticos para sepse e ida à feira

Nesse artigo, vamos analisar mais detalhadamente o primeiro princípio fundamental da medicina baseada em evidências…

6 horas atrás

Infecção puerperal e sepse materna: um evento prevenível?

A sepse puerperal é cinco causas mais frequentes de morte materna no mundo, sendo responsável…

20 horas atrás

Podcast Integrado: O papel do SUS para o profissional de saúde [podcast]

Confira o podcast dos canais da PEBMED sobre o papel do SUS para o profissional…

21 horas atrás

O que pode te ajudar no tratamento do paciente séptico?

Como manejar o paciente séptico do ponto de vista hemodinâmico ao longo das próximas horas…

22 horas atrás