Saúde & Tecnologia

Câncer de mama: criação do Google Health pode auxiliar no diagnóstico

Tempo de leitura: 2 min.

Um estudo conduzido por uma equipe internacional de médicos, incluindo pesquisadores do Google Health, do Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido e da Imperial College London, desenvolveu um modelo de computador com base em imagens de raios-X de mamas de quase 29 mil mulheres.

Esse sistema de inteligência artificial está se mostrando eficaz ao fazer o papel de um radiologista experiente na detecção de câncer de mama em pacientes com base em exames de mamografias. Essa nova iniciativa está sendo vista como uma promessa de melhora na redução de erros pela comunidade científica dos países envolvidos: Estados Unidos e Reino Unido.

Câncer de mama

De acordo com a Sociedade Americana do Câncer, profissionais de radiologia tendem a não detectar cerca de 20% dos casos de câncer de mama em mamografias. Outro dado alarmante é que metade das mulheres que passa por exames no período de dez anos recebem um resultado falso positivo.

“As conclusões da pesquisa representam um grande avanço no potencial para a detecção precoce do câncer de mama”, afirmou Mozziyar Etemadi, um dos co-autores da pesquisa e que trabalha na Northwestern Medicine, em Chicago, nos Estados Unidos, em uma entrevista ao canal BBC.

A equipe de pesquisadores treinou o sistema do Google Health para identificar câncer de mama em dezenas de milhares de mamografias. O desempenho do sistema foi comparado com os diagnósticos dados aos exames, formados por um conjunto de 25.856 mamografias realizadas no Reino Unido e 3.097 nos Estados Unidos.

O resultado foi que o sistema de inteligência artificial conseguiu identificar casos de câncer com um grau similar de precisão atribuído a radiologistas experientes. O sistema conseguiu ainda reduzir o número de resultados falsos positivos em 5,7% no caso dos exames norte-americanos e em 1,2% no caso dos exames britânicos.

A tecnologia também restringiu o número de falsos negativos, com redução de 9,4% no caso do grupo de exames realizados nos Estados Unidos e em 2,7% no Reino Unido.

As diferenças refletem as diferentes formas como as mamografias são lidas em ambos os países. Nos Estados Unidos, apenas um radiologista avalia os resultados e os testes são realizados a cada um a dois anos. Na Inglaterra, os exames são realizados a cada três anos e cada teste é lido por dois radiologistas. Quando eles não concordam entre si, um terceiro é chamado para avaliar o caso.

“O resultado foi muito além das minhas expectativas e terá um impacto significativo na melhoria da qualidade dos diagnósticos, além de liberar os radiologistas para fazerem coisas ainda mais importantes”, afirmou Ara Darzi, co-autora do estudo e diretor do Cancer Research UK Imperial Centre, em entrevista a BBC.

Leia também: Inteligência artificial supera avaliação médica em exames de imagem?

Será que a inteligência artificial vai substituir os médicos no futuro?

É importante lembrar que para este projeto ter apresentado resultados positivos foram necessários profissionais muito bem capacitados para desenvolver e treinar o modelo de inteligência artificial. Além disso, essa é uma pesquisa inicial e ainda há muito trabalho pela frente.

A proposta dos pesquisadores é que, no mínimo, um radiologista permaneça encarregado pelo diagnóstico, com o sistema de inteligência artificial auxiliando na dupla leitura de mamografias, aliviando o volume de trabalho dos radiologistas.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autor:

Referências bibliográficas:

Compartilhar
Publicado por
Úrsula Neves

Posts recentes

A classe de anti-hipertensivo interfere nos níveis de PA pré-cirurgia?

Pacientes com hipertensão arterial sistêmica têm maior risco de eventos cardiovasculares com maior chance de…

2 horas atrás

Efeito da época da infecção materna por SARS-CoV-2 nos desfechos nascituros

Um estudo avaliou gestantes não vacinadas para Covid de forma multicêntrica para pesquisar os desfechos…

6 horas atrás

20 de janeiro – Dia Nacional da Parteira Tradicional

O dia 20 de janeiro é considerado o Dia Nacional da Parteira Tradicional, em homenagem…

8 horas atrás

Casos de diabetes no Brasil aumentam 26,61% em dez anos, revela levantamento

Nos últimos dez anos houve um aumento de 26,61% no número de casos de diabetes…

8 horas atrás

Mão-pé-boca: doença do verão

No verão, o número de casos de crianças com a doença mão-pé-boca aumenta. O blog…

22 horas atrás

Sobrecarga médica no cenário atual da Covid-19

No episódio de hoje do podcast da PEBMED, confira sobre o cenário atual da Covid-19…

23 horas atrás