Blog do Whitebook

Câncer de mama: qual a diferença entre homens e mulheres?

Tempo de leitura: 2 min.

Aproveitando o Outubro Rosa, mês de conscientização sobre o câncer de mama, vamos abordar aqui no Blog do Whitebook como é o tratamento para homens e mulheres, os fatores de risco para cada sexo e muito mais.

O assunto câncer de mama feminino, atualmente, é bastante difundido. A campanha Outubro Rosa, que teve início no começo da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure, tem ajudado com informações e criado consciência na população sobre a importância do diagnóstico precoce.

Já o câncer de mama masculino, que não é tão prevalente como o feminino, não é comumente abordado e poucas informações chegam à população.

Aproximadamente até 1% dos casos de câncer de mama no mundo estão presentes em homens. Em alguns países da África, a incidência é mais comum (6% de todos os cânceres em homens) pela doença hepática endêmica.

O câncer de mama é extremamente raro em homens jovens. Acomete homens mais velhos com média de 68 anos (idade mais avançada que a média para câncer de mama nas mulheres).

No sexo feminino, o câncer de mama é o tipo mais comum no mundo (depois do câncer de pele não melanoma), com mais de 1 milhão de casos novos a cada ano, sendo a principal causa de morte por câncer em mulheres.

As taxas de mortalidade ainda são altas, mas vêm reduzindo nos últimos 50 anos por duas razões: diagnóstico precoce por meio do rastreio e avanços no tratamento adjuvante.

Fatores de risco para o câncer de mama

Veja no infográfico abaixo quais são os fatores de risco para homens e mulheres:

Saiba mais sobre o câncer de mama em homens no nosso podcast!

Existe diferença no tratamento?

Os tratamentos para câncer, em geral, visam retirar o tumor. Assim sendo, em uma mama pequena como a masculina, a retirada é quase sempre a cirurgia preferível, mesmo em casos iniciais.

O uso de hormonioterapia, quimioterapia ou radioterapia nos homens segue os princípios semelhantes no tratamento das mulheres.

“O diagnóstico precoce é muito importante para o sucesso do tratamento. A campanha Outubro Rosa é um ótimo momento para lembrar que as pessoas devem procurar atendimento sempre que observarem algo diferente nas mamas e, também, estimular que façam o preventivo de acordo com a orientação do médico”, alerta o ginecologista e obstetra, Dr. João Marcelo Coluna.

O Whitebook tem vários conteúdos relacionados ao câncer de mama para ajudar na tomada de decisão.

Leia também: Tudo que você precisa saber sobre diagnósticos de Câncer de Mama

Gostou de saber mais sobre o tema? Mande comentários! É sempre bom saber a sua opinião. 🙂

Coautor: Dr. João Marcelo Coluna, ginecologista e obstetra com mestrado em fisiopatologia.

Abraços,

Compartilhar
Publicado por
Clara Bittencourt

Posts recentes

Estudo associa placenta lateral com parto pré-termo e cesariana

O risco de hipofluxo placentário parece ser mais frequente em casos de placenta lateral, podendo…

49 minutos atrás

WONCA 2022: veja a cobertura completa do congresso internacional de medicina de família

A conferência europeia da Organização Mundial de Médicos de Família (WONCA 2022) acontece em Londres…

1 hora atrás

Síndrome de Ramsay Hunt: o que preciso saber?

Em 1907, James Ramsay Hunt descreveu diversos casos médicos que hoje configuram a Síndrome de…

2 horas atrás

É possível a redução e suspensão dos anti-TNF em pacientes com espondiloartrites e artrite psoriásica?

O uso de anti-TNF está relacionado ao aumento no risco de infecções e reações, além…

3 horas atrás

WONCA 2022: 7 valores centrais sobre o que é exercer medicina de família

O segundo dia do WONCA 2022 teve um marco histórico para a construção da identidade…

4 horas atrás

WONCA 2022: Uso da inteligência artificial na APS pode solucionar o problema do acesso?

Foi apresentado no WONCA 2022 uma alternativa para o uso da inteligência artificial para a…

4 horas atrás