Infectologia

Candida auris: Anvisa faz alerta sobre primeiro caso de fungo multirresistente no Brasil

Tempo de leitura: 2 min.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu ontem, dia 7, um alerta de risco sobre o primeiro possível caso de Candida auris no Brasil. O fungo multirresistente, encontrado geralmente em serviços hospitalares, foi identificado em amostra de ponta de cateter de um paciente internado em uma unidade de terapia intensiva (UTI) da Bahia.

A presença do superfungo foi confirmada por meio da técnica Maldi-Tof, realizada no Laboratório Central de Saúde Pública Profº Gonçalo Moniz (LACEN/BA) e no Laboratório do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP).

Ainda serão realizadas as análises fenotípicas (para verificar o perfil de sensibilidade e resistência) e o sequenciamento genético do microrganismo pelos Laboratórios da Rede Nacional para identificação de C. auris.

Segundo a nota, uma força-tarefa nacional esteve na unidade de saúde para se certificar que todas as medidas de controle da infecção e de prevenção estejam sendo tomadas corretamente. Além disso, uma investigação epidemiológica será conduzida pelo estado para verificar se existe a contaminação de outras pessoas do serviço de saúde.

Leia também: Quem seriam os culpados pela multirresistência aos antimicrobianos?

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Candida auris

Descrita inicialmente no Japão, em 2009, a Candida auris vem chamando atenção da comunidade médica e científica porque algumas cepas possuem multirresistência aos principais antifúngicos disponíveis (classes de polienos, azóis e equinocandinas). Surtos já foram identificados em mais de 30 países.

Em 2016, o Centers for Diseases Control and Prevention (CDC) dos Estados Unidos emitiu um alerta mundial sobre os casos em Atlanta. Nesse mesmo ano, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) também alertou para diversos surtos na América Latina. Em 2017, a própria Anvisa sinalizou que o Brasil deveria ficar atento para possíveis casos. Apesar disso, apenas agora foi identificado um possível caso no país.

Infecção

A Candida auris pode causar infecção em corrente sanguínea e outras infecções invasivas graves, podendo evoluir para mortes, principalmente em pacientes com comorbidades. O fungo pode colonizar os pacientes por meses, em diversos sítios, e permanecer no ambiente por longos períodos, já que também é resistente a alguns desinfetantes, incluindo aqueles baseados em quarternário de amônio.

O tratamento de primeira linha atualmente é feito com equinocandinas (anidulafungina, caspofungina e micafungina). A anfotericina B lipossomal entra quando o paciente não responde ou persiste com fungemia.

Recomendações da Anvisa:

  1. A agência brasileira orienta que os laboratórios de microbiologia reforcem a vigilância, para não deixar de identificar nenhum caso de C. auris. Além disso, informar sempre à Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) do serviço sobre qualquer caso suspeito.
  2. As unidades de saúde devem seguir as orientações previstas no Comunicado de Risco nº 01/2017 para prevenção e controle de infecção, quando houver suspeita.

Notificar sempre!

Qualquer caso suspeito deve ser notificado imediatamente à CCIH da unidade. A comissão deverá notificar pelo formulário Notificação de Casos de Candida auris em Serviços de Saúde da Anvisa e informar a suspeita ou confirmação de casos à Coordenação Estadual de Controle de Infecção Hospitalar (CECIH).

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referência bibliográfica:

Compartilhar
Publicado por
Clara Barreto

Posts recentes

Uso dos antídotos dos novos anticoagulantes em pacientes com sangramento grave

O manejo do sangramento por anticoagulantes consiste de tratamento de suporte, uso de pró-coagulantes e…

9 horas atrás

Síndrome do Intestino Irritável: causas e sintomas [podcast]

Neste episódio, a Dra. Mariane Sávio, especialista em Coloproctologia e conteudista do Whitebook, falará sobre…

10 horas atrás

Anvisa alerta sobre casos raros de síndrome de Guillain-Barré pós-vacinação

A Anvisa emitiu um alerta para o acompanhamento de casos raros da síndrome de Guillain-Barré…

11 horas atrás

Efeitos adversos associados ao uso de cigarro eletrônico por gestantes

O tabagismo materno, sem dúvidas, é uma causa relevante e evitável de efeitos adversos na…

12 horas atrás

Hipertensão em adolescentes com doença renal crônica: usar definição de adultos ou de crianças?

Foi conduzida uma análise retrospectiva do “Estudo de Coorte de Doença Renal Crônica em Crianças”…

13 horas atrás

Melhores práticas perioperatórias em pacientes obesos

O anestesiologista precisa estar familiarizado com as melhores práticas atuais no manejo perioperatório de pacientes…

14 horas atrás