Filtrar

Ginecologia e Obstetrícia

Uso antenatal de corticoides em gestações gemelares

Uma revisão sistemática avaliou o uso de corticoides anteparto em gestações gemelares e seu efeito na melhora dos desfechos perinatais. 

Implante hormonal: para quais condições é indicado?

O implante hormonal é uma opção de reposição de hormônios que trata muitas comorbidades ginecológicas, mas deve ter indicação adequada.

Trombofilia hereditária: uso de heparina de baixo peso molecular e desfechos gestacionais

Estudo verificou se o uso de heparina de baixo peso molecular melhora os desfechos de gestações em mulheres com trombofilia hereditária.

Brasil estabelece meta audaciosa para a redução de índice de morte materna

Atualmente, com 107 mortes a cada 100 mil nascimentos, Brasil estabelece meta audaciosa para a redução do índice de morte materna.

Dor associada à endometriose: terapia combinada de relugolix oral é eficaz?

Foi publicado um artigo no Lancet com o objetivo de avaliar o tratamento da dor pélvica associada à endometriose utilizando relugolix.

Qual a eficácia do misoprostol em reduzir perda sanguínea intraoperatória na cesárea?

A hemorragia materna causa 25% das mortes puerperais no mundo. Uma metanálise avaliou as opções para reduzir a perda sanguínea na cesárea.

Qual o custo-benefício do uso de sling retropúbico profilático na cirurgia de prolapso vaginal?

Artigo comparou o custo-benefício das três estratégias de utilização de SUM no tratamento de IUE um ano após o reparo do prolapso vaginal.

Câncer de mama: a utilização de imagens 3D no processo de reconstrução mamária

O câncer de mama é a forma mais comum de câncer não cutâneo. Veja neste artigo o uso da tecnologia 3D na reconstrução da mama de pacientes.

Existe associação entre bexiga hiperativa e fibromialgia?

Embora seus mecanismos fisiopatológicos sejam desconhecidos, há uma suspeita de existir associação entre bexiga hiperativa e fibromialgia.

Procedimento ablativo versus excisional no tratamento de NIC 2/3 confirmado histologicamente

O câncer de colo uterino é o quarto mais prevalente na mulher. Diagnóstico precoce e tratamento efetivo e rápido diminuem a mortalidade.