Filtrar

Ginecologia e Obstetrícia

Você sabe manejar infertilidade em mulheres com ovário policístico?

Uma análise resumiu as recomendações mais recentes sobre manejo da infertilidade anovulatória em mulheres com síndrome do ovário policístico.

Reversão da esterilização feminina: qual método é mais eficaz?

Os procedimentos podem ser realizados por laparotomia ou laparoscopia, com ou sem assistência robótica. Outra alternativa é a fertilização in vitro.

Salpingectomia: o método afeta a resposta ovariana à estimulação?

Alterações no funcionamento da trompa podem resultar em infertilidade, porém existem situações em que a salpingectomia deve ser ser considerada.

ANVISA suspende a venda do contraceptivo Essure

Em fevereiro, a ANVISA determinou a suspensão da importação, venda e do uso do contraceptivo Essure. O produto era comercializado no país desde 2009.

Impacto na cognição infantil do tratamento do hipotireoidismo na gravidez

O hipotireoidismo subclínico tem sido definido pela presença de níveis séricos elevados do hormônio estimulador da tireoide.

Hipertensão gestacional associada com aumento do risco de diabetes em prole adulta?

Entre as doenças maternas que ocorrem no período gestacional, a hipertensão induzida pela gravidez é considerada uma das nocivas.

LARC: por que escolher esse método contraceptivo?

A contracepção de longa duração reversível, utilizada no nosso dia-a-dia com a sigla em inglês LARC, possui a vantagem de ser “esquecível”.

Ministério da Saúde lança diretrizes de assistência ao parto normal

No Dia Internacional da Mulher deste ano, o Governo Federal lançou a publicação inédita das diretrizes nacionais de assistência ao parto normal.

Existe diferença na frequência do orgasmo entre pessoas com diferentes orientações sexuais?

Apesar da diferença na frequência de orgasmos entre heterossexuais, pouco se sabe sobre essa disparidade entre pessoas com diferentes orientações sexuais.

O rastreio de depressão deve fazer parte da rotina ginecológica e perinatal?

Segundo o American College of Obstetricians and Gynecologists, sim. A associação recomenda o rastreio de sintomas pelo menos uma vez no período perinatal.