Filtrar

Ginecologia e Obstetrícia

Nitrofurantoína é melhor que fosfomicina na infecção urinária?

Infecção urinária é um diagnóstico bastante comum na prática clínica, sendo a escolha correta do antibiótico um ponto chave para o tratamento.

Câncer de endométrio: o risco é maior em mulheres com sangramento pós-menopausa?

Qual é a prevalência de sangramento pós-menopausa em mulheres com câncer de endométrio e o risco de câncer de endométrio nessa população?

Gestantes com epilepsia: ácido fólico beneficia linguagem do bebê

Estudo analisou o efeito da suplementação materna de ácido fólico no atraso da linguagem em filhos de mulheres com epilepsia em uso de antiepilépticos.

Tratamento da migrânea na gravidez e lactação: o que precisamos saber

A migrânea não é a cefaleia mais frequente, mas certamente é uma das que mais causa impactos negativos. Apresenta uma prevalência maior no sexo feminino.

Infecção de sítio cirúrgico em ginecologia: como evitar?

Infecção de sítio cirúrgico é a complicação mais comum após procedimentos ginecológicos. Sua redução tornou-se prioridade nos Estados Unidos.

Doença de von Willebrand: você sabe identificar e diagnosticar?

Em nossa publicação semanal de conteúdos do Whitebook, separamos a apresentação clínica e abordagem diagnóstica da Doença de Von Willebrand.

Doença de von Willebrand: triagem em meninas com sangramento menstrual intenso

Sangramento menstrual intenso é uma queixa comum em adolescentes e pode causar diminuição da qualidade de vida e até hemotransfusões em casos graves.

Você sabe reconhecer a tão temida miocardiopatia periparto?

A miocardiopatia periparto, ou cardiomiopatia associada à gravidez, é uma causa rara de IC que afeta mulheres no final da gravidez ou no puerpério.

Trombocitopenia na gestação: quando devemos nos preocupar?

Em gestações não complicadas, a trombocitopenia é descrita como contagem de plaquetas inferior a 150.000. Em complicações, esse número pode ser ainda menor.

Anticoncepcionais e migrânea: após 60 anos, os riscos ainda são os mesmos?

Para o primeiro desafio, apresentamos o caso de uma criança de 12 anos, que sofre de uma rara doença. Você consegue fazer o diagnóstico?