Clínica Médica

Cefaleia por exercício físico

Tempo de leitura: 2 min.

A cefaleia por exercício é uma das várias síndromes de cefaleia relativamente raras que necessitam de uma avaliação médica cuidadosa. Ela pode ocorrer como um sintoma de outro distúrbio (cefaleia secundária) ou como um distúrbio primário sem uma anormalidade subjacente identificável (cefaleia primária ao exercício).

Leia também: A diminuição da prática de exercícios físicos aumentou a depressão no pré natal?

As anormalidades subjacentes mais comumente associadas à cefaleia por exercício incluem:

  • Lesão traumática anterior;
  • Lesões com efeito de massa supratentorial e fossa posterior;
  • Anormalidades vasculares, como aneurisma cerebral ou malformação arteriovenosa;
  • Hemorragia intracraniana.

Outros tipos de cefaleia paroxística que podem ser desencadeados por esforço incluem feocromocitoma, obstrução intermitente do fluxo do líquido cefalorraquidiano, causada por um cisto coloide de terceiro ventrículo por exemplo e malformação de Chiari tipo I. Importante lembrar que a cefaleia cardiogênica pode ser desencadeada por esforço em pacientes com fatores de risco para doença coronariana, incluindo aqueles sem dor torácica ou evidência de isquemia no eletrocardiograma (ECG). Sempre bom lembrar também que o exercício é um gatilho bastante comum em alguns pacientes com enxaqueca típica.

As características definidoras da cefaleia primária do exercício vêm de um número relativamente pequeno de séries de casos. É caracterizada por episódios de cefaleia bilateral, pulsátil, latejante, persistem de cinco minutos a 48 horas e são desencadeados por exercícios físicos. Geralmente não estão associadas a náuseas ou vômitos.

Saiba mais: O exercício físico no combate à Covid-19

O diagnóstico de cefaleia primária do exercício, de acordo com a Classificação Internacional de Distúrbios de Cefaleia, 3ª edição (ICHD-3), requer o cumprimento de todos os seguintes critérios:

  • Pelo menos dois episódios de cefaleia;
  • Provocado e ocorrendo apenas durante ou após exercícios físicos extenuantes;
  • Com duração de < 48 horas;
  • Não melhor explicado por outro diagnóstico ICHD-3.

Mensagem final

Pacientes com cefaleia de exercício “nova” ou nunca avaliada devem passar por uma avaliação com especialista. Um estudo neurovascular muitas vezes se faz necessário, para descartar anormalidades vasculares ou outras causas estruturais, particularmente: hemorragia subaracnoide, dissecção arterial cerebral ou cervical e síndrome de vasoconstrição cerebral reversível. A necessidade de tais investigações aumenta quando os episódios de cefaleia aparecem após os 40 anos de idade, prolongam-se por horas ou são acompanhadas por vômitos ou sintomas neurológicos focais.

Referências bibliográficas:

  • Upadhyaya P, Nandyala A, Ailani J. Primary Exercise Headache. Curr Neurol Neurosci Rep. 2020; 20(5): 9. doi: 10.1007/s11910-020-01028-4.
  • Headache Classification Committee of the International Headache Society (IHS) The International Classification of Headache Disorders, 3rd edition. Cephalalgia 2018; 38:1.
  • Rabiee B, Mohammadinejad P, Kordi R, Yunesian M. The Epidemiology of Exertional Headache in the General Population of Tehran, Iran. Headache 2015; 55:1225. doi: 10.1111/head.12610
  • Halker RB, Vargas BB. Primary exertional headache: updates in the literature. Curr Pain Headache Rep 2013; 17:337. doi: 10.1007/s11916-013-0337-8
Compartilhar
Publicado por
Felipe Resende Nobrega
Tags: cefaleia

Posts recentes

Meningite Bacteriana: sintomas e tratamento [podcast]

No episódio do podcast desta semana, o especialista em microbiologia e imunologia Dr. Rafael Duarte…

9 horas atrás

Efeito da administração materna de O² na pressão parcial de oxigênio venosa do cordão umbilical

Um estudo avaliou o efeito da administração materna de oxigênio durante o parto na pressão…

10 horas atrás

Mielite é tudo igual? Claro que não!

Neste episódio, Fernanda Rueda aborda o uso da ressonância magnética como ferramenta no diagnostico da…

11 horas atrás

Fraturas do rádio distal: quais os cuidados devemos ter em relação aos tendões extensores?

Um estudo avaliou a incidência de ruptura de tendões extensores após fixação com placa volar…

12 horas atrás

ATS 2022: Diretrizes para pesquisa de agentes virais não influenza em PAC

A pneumonia adquirida na comunidade (PAC) é uma doença heterogênea causada por uma ampla variedade…

13 horas atrás

ATS 2022: Segurança do itepekimab no tratamento da asma

Neste estudo de fase 2 apresentado durante o congresso da ATS 2022, os autores discutiram…

14 horas atrás