Cirurgia

Cirurgia bariátrica pode reduzir risco de neoplasias relacionadas à obesidade?

Tempo de leitura: 2 min.

A obesidade mórbida é uma condição que vem aumentando ao longo dos anos, e a cirurgia bariátrica é o método que apresenta melhores resultados a longo prazo. Associada a obesidade também temos diversas doenças que são amenizadas com o controle do peso. Classicamente a diabetes e hipertensão arterial são as mais associadas, no entanto também possuímos doenças neoplásicas que também possuem relação com a obesidade.

O objetivo do estudo foi avaliar se a cirurgia bariátrica teria algum benefício na diminuição de neoplasia em pacientes submetidos ao tratamento operatório. Sabemos que a melhor forma de resolvermos uma dúvida médica científica é a realização de ensaios clínicos randomizados, prospectivos e com grupos cegos. No entanto, esta modalidade de estudo, possui grandes limitações para a realização quando envolve procedimentos cirúrgicos.

Métodos

Estudo retrospectivo que analisou relatórios de alta hospitalar na França, de pacientes candidatos a tratamento operatório com IMC > 40 kg/m² ou IMC > 35 kg/m² associado a comorbidade, entre 2010  e 2017. Objetivo foi comparar aqueles pacientes realmente submetidos a um a tratamento bariátrico com aqueles que não foram. O desfecho primário a ser observado foi o surgimento de qualquer modalidade de câncer, incluindo tipos classicamente relacionados à obesidade. Interessante notar que o estudo das neoplasias não relacionadas à obesidade foram incluídos como forma de validar se houve um viés de seleção, uma vez que o  procedimento bariátrico não deve influenciar a diferença de incidência entre os grupos. Os grupos foram criados com escores de propensão de risco para que a população analisada fosse semelhante na proporção de 1:2.

Resultados

Um total de 3.633.019 pacientes foram admitidos no sistema francês hospitalar com diagnóstico de obesidade  e 2.764.66 (76,1%) foram diagnosticados com algum tipo de câncer.  Deste total e após as exclusões necessárias, foi criado o grupo cirurgia bariátrica com 288.604 indivíduos (23,3%) e no grupo controle 851.743(74,7%). Entre os pacientes do estudo 4483(1,6%) desenvolveram câncer no grupo bariátrica e 43.928 (5,2%) no grupo controle, sendo o câncer colorretal o mais frequente. A análise estatística demonstrou o risco relativo para câncer na população submetida a procedimento bariátrico foi de 0,92 (95% IC 0,88 a 0,97) sendo que o RR diminui para 0,89 (0,83-0,95) nos câncer relacionados a obesidade e nos cânceres não relacionados a obesidade o RR 0,96 (0,91 a 1,01).

Ouça também: Check-up Semanal: diretriz para tromboembolismo venoso, cirurgia bariátrica em idosos e mais! [podcast]

Discussão

Este desenho de estudo simula um ensaio clínico ao comparar populações submetidas a um procedimento cirúrgico com um grupo não operado. Os resultados demonstraram uma diminuição de 11% na incidência de câncer relacionada à obesidade nos pacientes submetidos a tratamento. Interessante notar que o mesmo benefício não se evidenciou nos tumores não relacionados à obesidade, demonstrando que fatores confundidores foram diminuídos pelo desenho do estudo.

Diversos outros estudos demonstraram resultados do benefício da cirurgia bariátrica na prevenção dos cânceres relacionados à obesidade e alguns com achados ainda mais expressivos com RR de 0,65 (0,51-0,69), numa população de 22 mil pacientes.

Existe alguma preocupação que procedimentos bariátricos que aumentem a incidência de refluxo como a gastrectomia vertical possa de certa forma aumentar a incidência de câncer de esôfago. No entanto, isto não se provou verdadeiro.

Para Levar para casa

Sem dúvida, o excesso de peso além de causar diretamente comorbidade leva a condições inflamatórias e hormonais que cursam com o aumento da incidência de alguns tipos de câncer. A cirurgia bariátrica é cada vez mais encarada como interdisciplinar envolvendo inclusive a oncologia com a prevenção primária de câncer.

Saiba mais: Risco de obesidade é 48% maior em adolescentes que comem alimentos ultraprocessados, indica estudo

Compartilhar
Publicado por
Felipe Victer

Posts recentes

Diabetes Mellitus tipo 1 na criança: cuidados e pontos de atenção para a família

No dia 26 de junho é o Dia Nacional do Diabetes. O Nursebook trouxe algumas…

11 minutos atrás

Implante hormonal: para quais condições é indicado?

O implante hormonal é uma opção de reposição de hormônios que trata muitas comorbidades ginecológicas,…

19 horas atrás

Cosméticos: 11 novos produtos chegaram esta semana no Whitebook

Cosméticos, em Produtos Farmacêuticos, tem o objetivo de categorizar produtos do segmento. Confira quais chegaram…

2 dias atrás

O que eu devo saber sobre anemia falciforme? [podcast]

Neste episódio, Felipe Mesquita, hematologista e conteudista do Portal PEBMED, traz importantes pontos sobre a…

2 dias atrás

Dia Mundial de Prevenção de Quedas

No dia 24 de Junho é comemorado o Dia Mundial de Prevenção de Quedas. O…

2 dias atrás

Alterações no padrão de sono após infecção por covid-19

Uma nova condição encontrada e que pode também fazer parte da síndrome da covid-19 longa…

2 dias atrás