Página Principal > Cirurgia > Colecistostomia percutânea: uma alternativa à cirurgia de urgência para colecistite?
médico trabalhando na sala de cirurgia

Colecistostomia percutânea: uma alternativa à cirurgia de urgência para colecistite?

Tempo de leitura: 2 minutos.

A colecistite é uma inflamação da vesícula biliar que ocorre mais comumente devido a obstrução do ducto cístico por cálculos biliares provenientes da vesícula biliar (colelitíase).

Estima-se que 10 a 20% dos americanos tenham cálculos biliares e cerca de um terço destas pessoas desenvolvem colecistite aguda. A colecistectomia para colecistite aguda é o procedimento cirúrgico principal mais comum realizado por cirurgiões gerais, resultando em cerca de 500 mil operações por anos.

Um site médico americano publicou neste mês uma revisão que pode trazer alternativas ao tratamento cirúrgico da colecistectomia no paciente grave.

Os autores de um estudo publicado no American Journal of Surgery apresentaram sua experiência com a colecistostomia em 119 de um grupo total de 678 pacientes admitidos com colecistite aguda.

Esses pacientes, com idade média de 76 anos, apresentaram comorbidades significativas, incluindo diabetes (38%), hipertensão (67%) e doença cardíaca ou insuficiência cardíaca congestiva (35%). Durante um período de seguimento de 21 meses, nenhuma operação adicional foi necessária para 56 pacientes (ou quase metade do grupo original) que se submeteu à colecistostomia sem quaisquer intercorrências ou complicações significativas.

Veja também: ‘Abordagem diagnóstica da colecistite aguda’

As Diretrizes de Tóquio sugeriram que a colecistostomia é apropriada para o manejo de pacientes com colecistite grave. Os resultados favoráveis ​​desta série de casos tendem a apoiar esse ponto de vista, embora o tempo de acompanhamento seja curto.

Outro relatório recente apontou que é provável que haja complicações, incluindo o deslocamento do dreno, infecção e uma alta taxa de cálculos na via biliar comum.

Uma revisão da Cochrane realizada em 2013 encontrou evidências insuficientes para avaliar o papel da colecistostomia no tratamento de pacientes de alto risco com colecistite aguda.

Na ausência de um grande ensaio clínico, esta série de casos oferece evidências modestas de que a colecistostomia fornece uma alternativa à cirurgia de urgência para pacientes selecionados de alto risco.

É médico e também quer ser colunista da PEBMED? Clique aqui e inscreva-se!

Autor:

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.