Saúde & Tecnologia

Como a tecnologia está mudando a relação médico-paciente

Novas maneiras de interação entre médico e paciente começaram a ser comuns com o crescimento do uso de smartphones. Os celulares com acesso à internet vêm permitindo a um maior número de pessoas um cuidado contínuo, seja por meio de aplicativos voltados a saúde e bem-estar, muitas vezes recomendados pelos profissionais, ou pelo maior contato com o paciente, via e-mail, mensagem de texto e aplicativos de mensagens, como o WhatsApp.

Segundo a 27ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas, realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP) e divulgada no início do ano, o Brasil alcançou a marca de 168 milhões de smartphones em uso. O crescimento em relação a 2015 foi de 9%, e a expectativa para os próximos dois anos é que esse número ainda cresça cerca de 40%.

Outro relatório, produzido por uma consultoria americana sobre saúde e bem-estar relacionados à tecnologia, em 2013, estima que o mercado de aplicativos médicos movimente o equivalente a R$ 4 bilhões apenas na América Latina em 2017, tendo o Brasil a maior participação.

Veja mais: ‘Relação médico-paciente e o acompanhamento de uma criança com câncer’

Esse uso constante da internet por meio do celular e o interesse por parte das pessoas em ter cada vez mais acesso a informações relacionadas à saúde mostram que o pacientes estão abertos às novas formas de comunicação. Apesar de muitos médicos e pacientes já terem uma relação além do consultório, tirando dúvidas e aumentando a assistência, esse número ainda pode ser maior. Com as informações certas, médicos podem usar os recursos disponíveis em smartphones para terem mais contato com seus pacientes e aumentar os cuidados, propiciando também melhoras mais rápidas e, possivelmente, uma maior qualidade de vida.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Referências:

  • https://medicaleconomics.modernmedicine.com/medical-economics/news/staying-connected-patients-beyond-office-visit
  • https://eaesp.fgvsp.br/sites/eaesp.fgvsp.br/files/pesti2016gvciappt.pdf
  • https://oglobo.globo.com/sociedade/saude/aplicativos-de-celulares-tablets-vigiam-doentes-cronicos-para-ajudar-medicos-pacientes-8427461
Compartilhar
Publicado por
Clara Barreto

Posts recentes

Uso da inteligência artificial para otimização do tratamento da sepse

Estudo avaliou modelo computacional no campo da Inteligência Artificial, capaz de sugerir tratamentos otimizados para…

9 minutos atrás

Check-up Semanal: semana da sepse, dieta vegetariana em crianças e mais! [podcast]

Check-up Semanal: confira as últimas notícias sobre semana da sepse, dieta vegetariana em crianças, apendicite…

1 hora atrás

Anestesia e síndrome carcinoide: o que precisamos saber?

A síndrome carcinoide pode surgir quando os peptídeos vasoativos secretados pelas células tumorais entram na…

2 horas atrás

Anvisa aprova uso de baricitinibe em pacientes hospitalizados com covid-19

A Anvisa aprovou uma nova indicação para o baricitinibe: o tratamento de adultos hospitalizados com…

3 horas atrás

Qual é a melhor combinação no tratamento conservador de lesões do manguito rotador?

Um estudo analisou o melhor regime de supervisão dos exercícios e o benefício das infiltrações…

4 horas atrás

AVC: como obter certificação online para aplicação da NIHSS

Foi criada uma escala para quantificar a magnitude e gravidade do AVC, a NIHSS, sendo…

5 horas atrás